DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Morre o ator e diretor Claudio Cunha

Famoso por viver o Analista de Bagé no teatro, estava com 68 anos

O Estado de S. Paulo

20 de abril de 2015 | 17h56

Conhecido por ter personificado no teatro e no cinema o personagem Analista de Bagé, criação de Luis Fernando Verissimo, o ator e diretor Claudio Cunha morreu na manhã de segunda, 20, de infarte fulminante, em Porto Alegre. Ele estava internado em um hospital desde a noite de domingo, quando passou mal. Estava com 68 anos e, na capital gaúcha, cumpria mais uma etapa da turnê do espetáculo O Analista de Bagé.


O velório está previsto para o cemitério Gethsemani, em São Paulo, na manhã desta terça, 21. As informações foram divulgadas no Facebook de David do Campo, primo do artista. Cunha deixou gravada uma participação na novela Os Dez Mandamentos, da TV Record, na qual participou como sumo sacerdote Menerptah. A emissora não informou quando a cena irá ao ar.

Conhecido por dar vida ao protagonista da peça Analista de Bagé ao longo de 30 anos, Cláudio Cunha entrou para o Guinness Book (livro dos recordes), em 1998, pelo longo período dedicado ao papel. 

Ao longo da carreira, o cineasta e ator produziu e dirigiu 13 filmes e 12 curtas. Entre as obras de destaque, Amada Amante, Oh! Rebuceteio e Vítimas do Prazer. A ligação com o personagem de Luis Fernando Verissimo começou na década de 1980, quando assumiu o papel pela primeira vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.