Jeremy Nicholl
Jeremy Nicholl

Morre diretor Alexandr Burdonski, neto de Stalin

Artista considerava o avô como "um verdadeiro tirano"

EFE

24 Maio 2017 | 10h52

O diretor de teatro Alexandr Burdonski, neto do ditador soviético Iósif Stalin, morreu nesta quarta, 24, em Moscou aos 75 anos de idade, informou a imprensa local. Burdonski, que sofria de problemas cardíacos, estava hospitalizado.

Encenador no Teatro do Exército Russo, Burdonski apresentou mais de uma dúzia de espetáculo. Seu pai, Vasili, piloto militar, era o mais novo dos dois filhos homens de Stalin e foi vítima após a morte do ditador.

"Vovô foi um verdadeiro tirano. Eu não posso ver como algumas pessoas tentam inventar asas de anjo, negando crimes

cometidos", disse Burdonski em uma entrevista há alguns anos no jornal ucraniano Bulvar Gordona.

"Ninguém iria querer alguma coisa ... Ser neto de Stalin é uma cruz muito pesada", acrescentou.

O trabalho teatral Burdonski foi distinguido pelas autoridades russas quanto soviéticas. Após a desintegração da URSS em 1985 ele foi premiado com o título de Artista Homenageado da República Socialista Federativa Soviética Russa, e em 1996,

como Artista do Povo da Federação Russa.

Mais conteúdo sobre:
Moscou

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.