Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Grupo Damas em Trânsito e os Bucaneiros ocupa a Praça do Sesc Pinheiros

No espetáculo dirigido por Alex Ratton tem prioridade as diferentes maneiras de relação com o espectador

Helena Katz , Especial para O Estado de S. Paulo

07 Março 2015 | 03h00

Quem ocupa os quatro sábados de março no Projeto Gestos e Cenas, que ocorre às 19 horas na Praça do Sesc Pinheiros, é o grupo Damas em Trânsito e os Bucaneiros. Criado há nove anos e dirigido por Alex Ratton, apresenta o espetáculo Espaços Invisíveis na Rua e o videodança Sobre Ruas e Rios.

Espaços Invisíveis é de 2013 e o apresentamos por um mês e meio no Paço das Artes, aqui em São Paulo. Depois desse tempo todo em um mesmo lugar, algumas cenas acabaram se transformando e surgiu uma questão: se levássemos a mesma obra para outros espaços ela perderia as suas características? É isso que vamos testar agora”, explica Ratton.

O grupo vai ocupar a calçada, a Praça de Eventos, a Área de Convivência, as duas rampas que fazem as interligações entre esses espaços e o jardim com a escultura de Francisco Brennand. “Como não pudemos ensaiar nesses locais, só hoje, no próprio dia da estreia, saberemos como tudo vai acontecer. Nós nos preparamos fazendo visitas técnicas, levantando questões sobre cada um dos lugares que vamos usar e as levando para nossa sala de ensaio, onde buscávamos resgatar a qualidade física dos contatos que íamos tendo – o que significava usar muito a imaginação”, enfatiza o diretor.

O elenco, formado por Ciro Godoy, Larissa Salgado, Laila Padovan, Carolina Callegaro e Clara Gouvêa, além de dançar, também toca, e é acompanhado por um músico convidado, Gregory Silvar. “A passagem entre uma ação e outra não é tão simples quanto pode parecer, pois são duas chaves diferentes que precisam ser acionadas e não se está em um lugar tão seguro quanto um teatro, no qual o chão é sempre plano e o público, geralmente, está mais afastado”, afirma ainda. 

O nome, Damas em Trânsito e os Bucaneiros, surgiu porque a companhia começou com quatro meninas, as damas. Como a proposta era a de trabalhar na rua, Damas em Trânsito. Quando chegaram dois rapazes, apareceu a ideia de quebrar com a delicadeza contida em ‘damas’. Escolher os piratas franceses, os bucaneiros, foi a solução. “O bom é que nestes anos todos tivemos apenas uma troca no elenco, e, como construímos um ambiente de harmonia, isso dificulta encontrar mais um bucaneiro.”

Espaços Invisíveis na Rua está dividido em três momentos: o primeiro é quase uma instalação, com os cinco bailarinos espalhados pelo espaço, com o público caminhando; em seguida, eles se juntam, fazem uma trajetória, e o público os segue; e, por fim, a situação se inverte: os espectadores se sentam na Praça dos Eventos e o elenco anda ao seu redor. E é lá mesmo que a plateia assiste ao videodança que vai encerrar a apresentação. 

A filmagem de Sobre Ruas e Rios começou logo depois da temporada do espetáculo no Paço das Artes, em outubro de 2013, e durou um ano. “Começamos registrando nossas experimentações e, pouco a pouco, a questão da água foi se impondo. Fomos explorar os rios canalizados, as nascentes que não mais existem, mananciais, o Cantareira. Foi uma coincidência que a água terminasse se tornando um assunto tão presente para quem mora em São Paulo.”

O espetáculo dura 50 minutos e o videodança, que foi apresentado uma única vez, na Mostra do Fomento do ano passado, tem 45. Para o próximo ano, como celebração do seu décimo aniversário, o grupo pretende reapresentar as cinco criações do seu repertório.

CIA. DAMAS EM TRÂNSITO E OS BUCANEIROS

Sesc Pinheiros. Praça. Rua Paes Leme, 195, 3095-9400. Sáb., às 19 h. Grátis. Até 28/3.
Mais conteúdo sobre:
Teatro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.