HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO
HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

'Grande Sertão' e 'Refluxo' lideram indicações ao Prêmio Shell São Paulo

Espetáculo que adentra obra de Guimarães Rosa e peça sobre vida de ascensorista concorrem em três categorias cada

O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2017 | 17h06

A lista com os indicados do segundo semestre à 30ª edição do Prêmio Shell foi divulgada quarta-feira, 20. Entre os favoritos, o espetáculo Grande Sertão: Veredas concorre em três categorias (Direção, Ator e Música). Com duas indicação, o espetáculo Boca de Ouro compete pelo troféu de melhor direção e atriz.

Na lista completa, a peça de Bia Lessa que mergulha na obra de Guimarães Rosa lidera a lista ao lado de Refluxo, indicado no primeiro semestre nas categorias Direção, Cenário e Autor.

 

Veja a lista completa: 

Autor

Angela Ribeiro por “Refluxo”

Munir Pedrosa e Herbert Bianchi por “Hotel Mariana”

Marcia Abreu, Grace Passô e Nadja Naira por “Preto

Newton Moreno por “Imortais

Direção

Eric Lenate por “Refluxo”

Nelson Baskerville por “Eigengrau – no escuro

Bia Lessa por “Grande sertão: veredas”

Gabriel Vilella por “Boca de Ouro”

Ator

Ary Fontoura por “Num lago dourado

Sergio Guizé por “Oeste verdadeiro

Caio Blat por “Grande sertão: veredas”

Daniel Warren por “Ponto de vista de um palhaço”

Atriz

Amanda Lyra por “Quarto 19”

Ilana Kaplan por “Baixa terapia, uma comédia no divã

Mel Lisboa por “Boca de ouro”

Denise Fraga por “A visita da velha senhora

Cenário

Eric Lenate por “Refluxo”

Veronica Valle e Mateus Viana por “Constelações

Marisa Bentivegna por “Enquanto ela dormia

Daniela Thomas e Felipe Tassara por “Selvageria

Figurino

Bia Pieratti, Carol Reissman e Lenin Cattai por “Pessoas brutas”

Telumi Hellen por “Esperando Godot”

Ronaldo Fraga por “A visita da velha senhora”

Fabio Namatame por “Cantando na chuva

Iluminação

Adriana Ortiz por “Monólogo público

Domingos Quintiliano por “Constelações”

Wagner Pinto por “Dilúvio

Aline Santini por “A serpente”

Música

Marcelo Pellegrini por “Pagliacci

Wagner Passos por “Fuente Ovejuna”

Gregory Slivar por “Tchekhov é um cogumelo

Egberto Gismonti por “Grande sertão: veredas”

Inovação

Mundana Companhia pela ocupação de espaços urbanos não convencionais com a adaptação do espetáculo “Na selva das cidades” de Bertold Brecht.

Teatro de Contêiner Mungunzá pelo uso arquitetônico inédito voltado para o teatro, inserido em região degradada do Centro de São Paulo.

“Grupo XIX de Teatro” pela manutenção da sede na Vila Maria Zélia, zona leste, e parceria com artistas de áreas diversas.

“Teatro do Sol” pela intensa atividade artística em diálogo direto com a plateia da zona norte.

Homenagem

Em São Paulo, o homenageado da edição 2018 será Ney Latorraca por sua performance artística e engrandecimento da cena teatral. Este ano, o ator reviveu nos palcos um de seus personagens mais queridos e marcantes nas novelas, o vampiro Vlad, no musical “Vamp”. No Rio a homenagem será a Hélio Eichbauer por seu trabalho ao longo de mais de 50 anos de renovação da cenografia brasileira.

Mais conteúdo sobre:
Prêmio Shell de Teatroteatro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.