Leekyung Kim
Leekyung Kim

Espetáculo ‘Lady x Macbeth’ expõe sentimentos como culpa, traição e rivalidade

Yara de Novaes e Guilherme Leme conferem à obra de Shakespeare um tom contemporâneo, com força para a mulher

Dirceu Alves Jr., Especial para o Estadão

03 de maio de 2022 | 20h01

A tragédia Macbeth, escrita por William Shakespeare (1564-1616) no começo do século 17, é uma das obras mais revisitadas do autor inglês e seus protagonistas, o general do título e sua mulher, Lady Macbeth, desafios para atores ambiciosos. Lady x Macbeth - Outros Detalhes da Peça Escocesa, texto de Marcia Zanelatto, propõe um diálogo contemporâneo da dupla. Guilherme Leme Garcia e Yara de Novaes representam os cobiçados personagens no espetáculo dirigido por Marcio Aurelio e Mara Borba, que está em cartaz no Teatro Anchieta - Sesc Consolação

No original, Macbeth tem soldados, barões, reis e bruxas. Ao voltar de uma campanha, o capitão ouve de três feiticeiras a profecia de que se tornará rei e, instigado por sua esposa, elimina todos os que ameaçam o seu domínio ao trono da Escócia. A releitura de Márcia, porém, constrói um contraponto intimista focado no casal para tratar de sentimentos como culpa, traição e rivalidade. Macbeth e Lady estão em seu quarto, onde tudo pode ser dito, para expor fragilidades e frustrações capazes de quebrar os arquétipos masculinos e femininos. “Lady é uma das tantas mulheres fortes sem alternativas, obrigadas a usar a inteligência a favor do marido”, explica a dramaturga. “Hoje, eles não precisariam estabelecer uma relação de afeto e poderiam ser sócios em um negócio.”

A autora começou a formatar a ideia em 2017, incomodada com o impeachment que tirou Dilma Rousseff da presidência da República no ano anterior. Logo, imaginou quanto o machismo impediu Lady Macbeth de desenvolver o seu talento de estrategista e só lhe restou apoiar-se em uma figura masculina. “Nós, mulheres, nunca conseguimos transformar nossa potência em poder e, então, resolvi pegar Shakespeare pela mão e convidá-lo para um passeio pelo Brasil, falando das máscaras que caíram nos últimos anos”, diz. “Imaginei como seria o relacionamento desse casal nos dias de hoje, atingido por mudanças dos novos tempos.”

Guilherme Leme Garcia, que, nos últimos quinze anos, priorizou a carreira de diretor, enxergou em Lady X Macbeth, Outros Detalhes da Peça Escocesa uma ótima oportunidade de retorno aos palcos. “Eu me vi diante desse homem que pratica a ação seguindo a mente, o raciocínio de sua mulher e fico satisfeito de abraçar um personagem que me expõe ao risco”, conta ele, que atuou há seis anos na peça Uma Relação Pornográfica. “Quando li o texto, eu enxerguei Marcio Aurelio como o diretor perfeito porque esta dramaturgia radical, quase abstrata, remete a Hamletmachine, espetáculo marcante dele.” 

Em 1987, Marcio Aurelio comandou Hamletmachine, peça do alemão Heiner Müller, que se apropriou de outra obra de Shakespeare, Hamlet. O trabalho corporal desenvolvido pela protagonista, a atriz e bailarina Marilena Ansaldi (1934-2021), voltou a inspirar o encenador, que chamou a coreógrafa Mara Borba para auxiliá-lo na concepção da nova montagem. O que se vê é um exemplo de teatro físico, com dois atores, em figurinos sóbrios, sobre um platô, conferindo contemporaneidade ao conflito. “Marcio reforça para a gente o tempo todo que é um épico, uma tragédia, e essa dramaturgia corporal revigora cada diálogo”, comenta Leme, sobre a direção conjunta.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Discordo totalmente quando falam que a Lady manipula Macbeth, de jeito nenhum, estamos diante de uma tragédia de parceria, tanto que, com a morte dela, ele fica acéfalo
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Yara de Novaes, atriz

Yara de Novaes sublinha algumas falas de sua Lady Macbeth, como “eu sou a ideia e ele o gesto” ou “toda potência é minha, todo o poder é dele”. A atriz acredita que se deslocassem a personagem para 2022 a trajetória do casal seria bem diferente. “Ela tem uma inteligência complementar aos objetivos do marido e negocia como pode para garantir o que julga melhor para a vida deles”, declara. “Discordo totalmente quando falam que a Lady manipula Macbeth, de jeito nenhum, estamos diante de uma tragédia de parceria, tanto que, com a morte dela, ele fica acéfalo.”

A afinação nos bastidores é tanta que Leme e Yara concordam na escolha das interpretações mais marcantes que já viram do casal Macbeth. São as dos atores ingleses Ian McKellen e Judi Dench em uma versão da Royal Shakespeare Company, registrada em 1979 e disponível no Youtube. “É tudo escuro, filmado no ambiente de um teatro, mas impressiona cada detalhe do trabalho dos dois”, descreve Leme. Yara salienta o fato de Judi Dench compor uma Lady interiorizada, uma mulher comum, sem cair no melodrama ou psicologização. “Os ingleses são insubstituíveis, têm embocadura, pertencimento, é como ator brasileiro com Nelson Rodrigues, a gente conhece bem aquele universo”, compara.  

Serviço

Lady X Macbeth - Outros Detalhes da Peça Escocesa

Sesc Consolação. R. Doutor Vila Nova, 245, Consolação. 

6ª e sáb., 21h; dom., 18h. R$ 20/R$ 40. Até 5/6. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.