Thais Boneville
Thais Boneville

Em ‘MEN.U’, vaga vira drama gastronômico

Disputa por emprego de subchefe em hotel move peça que reúne personagens de Luccas Papp e Giulia Nadruz no palco

Bruno Cavalcanti, Especial para o Estadão

26 de janeiro de 2022 | 05h00

MEN.U, o drama gastronômico em cartaz aos sábados no Teatro das Artes, pode ser traduzido como consequência de uma série de coincidências. Foi, por exemplo, uma coincidência que, em 2019, os atores Luccas Papp e Giulia Nadruz figurassem na mesma lista publicada pela revista Forbes de destaques abaixo dos 30 anos de idade. 

Foi também uma coincidência o encontro de Papp com o ator, cantor e diretor Ivan Parente nos bastidores da novela As Aventuras de Poliana. E, pode-se dizer, foi um acaso do destino que Papp trombasse em Giulia Martins, sua esposa e coprodutora do espetáculo que reúne, pela primeira vez, o grupo de profissionais egressos de diferentes escolas teatrais.

Escrito e coestrelado por Papp (ao lado de Giulia Nadruz sob a direção de Parente), MEN.U enfoca o encontro entre dois concorrentes a uma vaga de subchefe em um restaurante badalado e, como último teste, precisam impressionar um renomado chef de cuisine com as receitas mais mirabolantes e saborosas que possam desenvolver.

“Todas as motivações dos personagens partem da relação que eles têm com seus entes mais próximos. Eles moldam as suas decisões e constroem o campo para a batalha que acontece ao longo dos 3 atos de peça. A tragédia, a pincelada divina e o final com twist não faltam, como na maioria das vezes”, conceitua Papp que, nesta obra, mergulha no universo gastronômico após investidas dramatúrgicas em temas como o nazismo, a homofobia, o suicídio e o bullying

“O que mais me interessou no universo da gastronomia é a metáfora direta que posso fazer entre ele e o espetáculo. Até que ponto nos mutilamos ou até mesmo servimos pedaços do nosso corpo e alma para conseguirmos um ‘lugar ao sol’?”, questiona. “Essa ideia contemporânea de que a relevância e a glória são os fins da jornada dão o tempero ao espetáculo. Sem falar que os realities gastronômicos são um sucesso da cultura pop e não fazem parte do ambiente teatral. Gosto de navegar por mares desconhecidos”.

Um dos principais nomes do teatro musical brasileiro, Giulia Nadruz acredita ter encontrado em MEN.U um desafio inédito em sua carreira – que abarca protagonistas em espetáculos do quilate de O Fantasma da Ópera, Shrek – O Musical BarnumO Rei do Show.

“É uma hora sem sair de cena, apenas eu e Luccas, muito texto, muitas ações (afinal nós cozinhamos ao longo da peça), personagens super complexas, um texto cheio de reviravoltas e apenas um mês pra criar tudo do zero! Está sendo um baita desafio por todos esses motivos”, explica a artista, que vê no projeto um pontapé inicial para o trabalho com outros profissionais, entre eles Vinícius Calderoni, Eric Lenate e Ulysses Cruz.

“Gosto de levar a minha carreira de forma dinâmica e sempre busco novos desafios que me façam evoluir artisticamente. Tenho interesse em me tornar uma atriz completa, que transite em todas as linguagens, assim como Marília Pêra e Claudia Raia.”

Parecido pensa Ivan Parente, que, em MEN.U dirige seu primeiro espetáculo fora da seara musical. O ator e cantor vinha de experiências como diretor residente na companhia do argentino Billy Bond, e assinou a concepção original do sucesso O Mágico Di Ó, de Vitor Rocha, ao lado de Daniela Stirbulov.

“Sempre achei a maior bobagem essa rixa do teatro clássico e do teatro musical”, avalia. “Quando aceitei dirigir o texto, entendi que teria que me reinventar sem deixar de ser eu mesmo. Complexo, mas possível. Acho que minha experiência como ator de teatro musical contribuiu muito para a direção. O mundo da culinária tem a receita como ponto de partida e o teatro musical tem as bíblias que devem ser seguidas. Então li o texto umas cinco vezes e consegui ver uma musicalidade, um balé gastronômico e isso me aproximou da narrativa.”

“Eu dirigi esse texto como se fosse movimentos de música clássica: allegro, suite, adagio. Não exatamente nessa ordem, mas pensando nos climas dos 3 atos da peça, e o Elton Towersey (trilha original) foi alimentando essas imagens sonoras. Acho que conseguimos unir a potência do texto com a pompa dos musicais. O Papp vem do teatro clássico e a Giulia despontou do teatro musical, todos saem ganhando. São grandes artistas entregando arte”, diz.

MEN.U cumpre temporada até o dia 26 de fevereiro, sempre aos sábados, às 17h.

Temporada

Espetáculo fica em cartaz até 26 de fevereiro, 

no Teatro das Artes,

aos sábados, 17h

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.