Flavia Canavarro
Flavia Canavarro

Em ‘Conserto Para Dois’, Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello se dividem em 11 papéis

A ideia do espetáculo nasceu quando Claudia e Jarbas decidiram retomar o hábito de fazer turnê com uma peça por várias cidades, o que não era possível com os grandes musicais que vinham montando até então

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2021 | 15h39

É tudo muito rápido: Claudia Raia sai de cena interpretando uma diva do cinema e, segundos depois, está de volta, agora como um marinheiro embrutecido. “É tudo muito preciso, até a quantidade de passos que preciso fazer para entrar e sair do palco é contada”, diverte-se ela que, ao lado de Jarbas Homem de Mello, seu companheiro na vida e na arte, protagoniza a comédia musical Conserto Para Dois (com S mesmo), que estreia nesta sexta-feira, 1.º, no Teatro Procópio Ferreira.

Juntos, eles se desdobram para interpretar 11 papéis e contar a história do amor entre Angelo Rinaldi, famoso escritor de best-sellers, e Luna de Palma, uma celebridade do cinema. Eles vivem um momento de estremecimento na relação e, ajudando ou não, sofrem a influência de outras figuras, como dona Socorro (mãe de Luna), Nestor (secretário particular) e até aquele marinheiro, entre outros.

“É uma homenagem àquelas comédias com enredos mirabolantes, em que um casal passa por várias confusões para manter a paixão”, conta Jarbas, que também dirige o espetáculo. A ação acontece no cruzeiro de luxo Sinfonia dos Mares, no qual Rinaldi embarca rumo à Antártida para uma viagem de 30 dias. Com um bloqueio criativo, ele quer esquecer o conturbado fim de seu casamento com sua musa inspiradora. Ele só não podia imaginar que daria de cara justamente com a ex. Luna embarca no mesmo navio seguindo o conselho de sua mãe, dona Socorro, para fugir do marido. O que ela não conta é que seu secretário, Nestor, vai revelar outras intenções.

A ideia do espetáculo nasceu quando Claudia e Jarbas decidiram retomar o hábito de fazer turnê com uma peça por várias cidades, o que não era possível com os grandes musicais que vinham montando até então. Convidaram Anna Toledo para escrever o texto e a letra das canções, instrumentadas também por Thiago Gimenes e Tony Lucchesi. “Foi um trabalho que exigiu um bom tempo, pois testamos cada música para ter a certeza de que elas se encaixariam na trama ou mesmo para ajudar no tempo de troca de personagens da Claudia e do Jarbas”, conta Anna.

Para manter o ritmo, a peça conta ainda com a presença em cena de Guilherme Terra, que atua como um narrador da história, além executar no piano diversas canções. “Muitas vezes, é ele quem segura o ritmo musical para que a gente consiga fazer a troca de figurinos”, explica Jarbas que, assim como Claudia, tem o auxílio de três pessoas nos bastidores para mudar de roupa.

Esse é um dos desafios enfrentados pela dupla de atores: além do figurino, é preciso trocar também o tom de voz e a postura, para que cada personagem tenha uma personalidade bem definida. E, para deixá-los realmente marcantes, Claudia e Jarbas foram, aos poucos, acrescentando detalhes significativos. Nestor, por exemplo, interpretado por Claudia, tem um sotaque mineiro, enquanto o marinheiro, também vivido pela atriz, puxa para o lado mais italianado do paulistano.

Já dona Socorro ganhou um sotaque gaúcho, homenagem que seu intérprete, Jarbas, nascido no Rio Grande do Sul, fez à própria mãe. “Como são vozes distintas, precisamos modular a entonação, para que um tipo de voz não atrapalhe o que vem em seguida”, conta Claudia.

E os figurinos, além de práticos para a troca, também precisavam traduzir a essência de cada personagem. “Dona Socorro, por exemplo, é uma mulher com curvas acentuadas e roupas extravagantes. Foi preciso um estudo para chegarmos a essa transformação do corpo de Jarbas para dona Socorro. A solução que encontramos foi um vestido com enchimento. Assim, garantimos uma troca rápida quando ele sai de um personagem para outro e conseguimos mudar totalmente a estrutura do corpo masculino para uma bela senhora ousada, cheia de curvas e nada discreta”, diverte-se o figurinista Bruno Oliveira, em material divulgado pela assessoria do espetáculo.

Conserto Para Dois cumpriu temporada em Portugal antes da pandemia e deverá seguir em turnê depois de São Paulo. Enquanto isso, Claudia e Jarbas já trabalham no próximo projeto: o musical Tarsila, a Brasileira, sobre a pintora Tarsila do Amaral. “Mas não vamos mostrar apenas a fase glamourosa, mas também seu lado B”, conta Claudia, que viverá a pintora enquanto Jarbas será Oswald de Andrade. A direção será de José Possi Neto e o texto, de Anna Toledo. A previsão de estreia é no segundo semestre de 2022, no Teatro Santander.

CONSERTO PARA DOIS, O MUSICAL

TEATRO PROCÓPIO FERREIRA

RUA AUGUSTA, 2.823. TEL.: (11) 3083-4475

6ª E SÁB., 21H; DOM., 19H.

R$ 75 / R$ 180. 

ESTREIA 1º/10. ATÉ 31/10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.