Reprodução/ArquivoPessoal/Facebook
Reprodução/ArquivoPessoal/Facebook

Dançarino foge da Ucrânia com ajuda da inteligência italiana

Giordano Signorile era dançarino da Academia de Dança de Kiev e se abrigou no porão do local para fugir de ataques russos

EFE, O Estado de S.Paulo

04 de março de 2022 | 12h08

O dançarino de 19 anos Giordano Signorile, preso na Ucrânia nos últimos dias pela invasão russa e retirado pelos serviços de inteligência italianos, chegou hoje em Roma, em um voo vindo da Romênia. "Estou na Itália e em breve estarei em casa. Ainda não me parece verdade, estou muito feliz", disse Signorile em um vídeo.

Signorile, morava na Ucrânia desde os 14, quando se mudou para treinar na Academia de Dança de Kiev para se tornar um dançarino profissional. Quando os bombardeios perto de Kiev começaram, o jovem refugiou-se com dois amigos no porão da academia – que fica a 40 quilômetros do centro – e não conseguiu chegar à Embaixada italiana para ser resgatado, como o Ministério das Relações Exteriores pediu a todos os italianos de lá.

Signorile ficou detido na Ucrânia, enquanto na Itália sua família e amigos se mobilizaram para que o governo o ajudasse a sair. O jovem é originário de Capurso, uma cidade na província de Bari, na Itália.  Vizinhos e amigos de Capurso organizaram uma marcha e caminharam pelas ruas com velas para pedir que ele não fosse esquecido.

Os serviços de inteligência da Itália, em colaboração com a unidade de crise do Ministério das Relações Exteriores, o resgataram na quarta-feira e ele foi transferido primeiro para a Moldávia e depois para a Romênia.

O vice-secretário de Justiça Francesco Paolo Sisto agradeceu ao ministro das Relações Exteriores italiano Luigi Di Maio "por sua resposta ativa e rápida" ao resgatar o jovem, "que ficou preso em Kiev por dias".

 

Tudo o que sabemos sobre:
Kiev [Ucrânia]Rússiadança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.