atheus Casagrande/Divulgação
atheus Casagrande/Divulgação

Cidade de Votorantim ganha centro cultural

Parque da Autonomia vai funcionar em um zoológico desativado 

Helena Katz, Especial para O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2015 | 03h00

Votorantim, distante 108 km da cidade de São Paulo, localiza-se na região metropolitana de Sorocaba. Município cheio de parques, inaugura nesta segunda,23, um projeto especial, no Parque Ecológico do Matão, de 6,3 km2 e localizado no centro urbano. Espaço anteriormente ocupado pelo antigo zoológico, desativado há 8 anos, transforma-se no Parque da Autonomia. Essa é uma palavra muito cara para o Coletivo O12, autor do projeto, que não apenas devolve um espaço valioso para a cidade, mas o reconfigura com ações culturais, sociais e ecológicas da maior importância.

Autonomia é o que vem selando a atuação de Preta Ribeiro, Tati Almeida e Thiago Alixandre, que compõem este coletivo desde o seu começo, em 2008. Sua profunda ligação com a cidade os distingue de iniciativas semelhantes. Eles inventaram o Dança na Vitrine, no qual realizam exatamente o que o nome anuncia, e fortalecem as relações com as lojas do centro comercial. Produziram o Dança no Terminal, do qual resultou um acordo para a utilização do BusTV (os monitores que exibem notícias e publicidade dentro dos ônibus) e transporte para favorecer a realização do Game Cênico – sua criação de 2011, no qual trabalham, sobretudo em escolas e instituições culturais, os novos hábitos cognitivos que preparam os jovens para o enfrentamento dos tempos conectados em que vivemos.

Nos seus sete anos de existência, o Coletivo realizou 30 vídeos, mais de 180 apresentações de espetáculos e conquistou 9 editais distintos. Contudo, o modo de sobreviver empreendido até agora vai mudar, pois o projeto do Parque da Autonomia recebeu financiamento da Votorantim Cimentos e parceria da Prefeitura local. Poderão institucionalizar e ampliar o que já vinham realizando por lá desde 2010, quando começaram a ocupar o parque desativado, convivendo com os lagartos, macacos e os mais de 30 bugios que são o símbolo do lugar.

“Durante todos esses anos, a Secretaria do Meio Ambiente nos cedeu o espaço e, no ano passado, a Secretaria de Cultura ofereceu a estrutura técnica de som e luz para a sua utilização. Contudo, como não tínhamos recursos, nosso alcance ficava restrito a atividades pontuais. Sempre produzimos muitas coisas, mas nunca explorando a potencialidade transformadora que apenas a continuidade pode promover”, explica Thiago.


Em 2015, graças aos recursos obtidos, irão oferecer 180 vagas gratuitas para a comunidade, distribuídas em cursos semanais de dança, canto popular, violão, coral infantil, danças sociais, idiomas (inglês e francês) e também no Núcleo P.E.I (grupo de estudos sobre pensamento crítico e produção intelectual). Os critérios de seleção podem ser encontrados no www.coletivo12.com.br e as inscrições podem ser feitas através do e-mail cursos@coletivoo12.com.br. Além dos cursos, realizarão também o Núcleo Cineparque (espécie de cineclube que tem como meta valorizar as produções que não circulam na indústria cinematográfica).

Tudo o que sabemos sobre:
DançaTeatro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.