FORMIGUEIRO/DIVULGAÇÃO
FORMIGUEIRO/DIVULGAÇÃO

Cias. jovens buscam novas formas de financiamento

Coletivo 'Formigueiro' une três grupos paulistanos que querem produzir sem depender de prêmios e editais

Murilo Bomfim, O Estado de S. Paulo

14 de abril de 2015 | 19h04

Enquanto grupos mais consolidados do teatro paulistano se esforçam para sobreviver e manter suas sedes, alguns dos mais jovens tentam mudar as dinâmicas de produção atuais. É o caso do Formigueiro, movimento criado por três companhias que buscam novas formas de se fazer teatro.

Criado no início deste ano, o coletivo é formado por integrantes das companhias Contraponto (Elisa Fingermann e Paulinho Faria), 28 Patas Furiosas (Sofia Botelho de Almeida, Isabel Wolfenson e Laura Salerno) e Operação: Estrangeiros (Jackeline Stefanski e Henrique Ponzi). Os grupos têm entre três e quatro anos. “Não queremos continuar nesse ciclo sem fim de tentar editais, prêmios e apresentar peças para a classe teatral”, diz Jackeline. “As produções artísticas estão seguem uma lógica de mercado que é competitiva. Entendemos que é melhor nos juntarmos do que trabalharmos isolados.”

Com a ajuda de um consultor de empresas, o Formigueiro identificou seus três pilares: a atração de público, a rentabilidade de seus espetáculos e o compartilhamento de pesquisas artística e de produção entre os grupos. Entre as primeiras ações do movimento estão a criação de um caixa comum para pagar custos de divulgação de seus espetáculos e a realização de cursos e oficinas de teatro, que ajudariam a alimentar esse caixa.

Ainda incipiente, há a ideia de criar uma plataforma online de assinaturas do Formigueiro. Na ferramenta, o público pagaria um valor mensal e teria direito a ver um número de atrações, entre peças, oficinas, filmes, palestras e outros eventos artísticos. “O legal dessa plataforma é que ela acaba descentralizando o teatro, já que o público acaba vendo espetáculos em bairros como Vila Mariana, Vila Madalena e Centro”, diz Paulinho Faria, frisando que o teatro não ocorre apenas na Praça Roosevelt e no circuito do Sesc.

Em busca de mais parceiros, o coletivo tem divulgado suas ideias por meio de vivências: alguns dos integrantes vão a universidades para ministrar oficinas de teatro a estudantes de Artes Cênicas e, na ocasião, explicar o funcionamento do Formigueiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Teatro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.