Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Rob Youngson/National Theatre
Rob Youngson/National Theatre
Imagem João Wady Cury
Colunista
João Wady Cury
Palco, plateia e coxia
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Caverna.club: Amor eterno, em dose tripla

Três novas montagens de Romeu e Julieta pipocam no Hemisfério Norte

João Wady Cury, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2021 | 03h00

Pode ser que tenham se movido pelo momento de medo ao ver o mundo como conhecíamos derreter fragorosamente. Ou a esperança de renascimento depois que tudo passar. Quem sabe desejassem instigar a eternidade e o amor guardados em nós. O fato é que exatamente agora estão em andamento três versões da história do amor eterno – eterno porque os protagonistas morrem, é claro. Três novas montagens de Romeu e Julieta pipocam no Hemisfério Norte, duas em Londres, uma em Nova York. 

Rádio Romance

A história do amor que dói pode até ser a mesma nas três montagens, mas cada uma tem seu charme. The Public Theater, em Nova York, criou Romeo y Julieta, produção bilíngue, inglês e espanhol misturados. Tem à frente dos microfones Lupita Nyong’o e Juan Castano. Sim, microfones. A peça tem duas horas e vinte de duração e é transmitida em áudio somente, sem vídeo (bit.ly/3shT7LI), o que por si já é uma provocação. A peça se passa em Verona, mas poderia ocupar as ruas de Los Angeles ou Miami, com as pessoas conversando nas palavras dos dois idiomas. Como ninguém é de ferro, é possível acompanhar a leitura do texto durante a peça (bit.ly/3mISjyi).

Em Londres, o National Theatre fez jus ao seu inacreditável equipamento de filmagem e botou Romeo and Juliet no pódio novamente com dois protagonistas premiados. Jessie Buckley, cantora e atriz irlandesa que papou diversos prêmios pelo filme As Loucuras de Rose, é a garota dos Capuleto. Josh O’Connor, que recebeu o Globo de Ouro de melhor ator por entrar na pele do príncipe Charles, em The Crown, é o rapaz Montecchio. A peça, toda filmada nos bastidores do teatrão, é exclusiva para a televisão. Em 23 de abril, será exibida na rede PBS, nos Estados Unidos, e na Sky Artes, no Reino Unido. Há quem acenda velas diariamente para os dois espíritos do amor eterno levarem logo seu mel para o palco – o que é possível, agora que Londres começa a se abrir novamente (bit.ly/3tcToRj).

Se pensarem muito, serão atropelados. O Globe, casa de Will Shakespeare, lança em junho, também em Londres, a terceira montagem do ano (bit.ly/3thoCH7). Chega com Alfred Enoch como Romeu e Rebekah Murrell como Julieta, e promete um novo significado para a dor, além do acaso, do destino e da fortuna. Com todo esse romantismo escorrendo por todos os lados, haja veneno e adaga para romeus e julietas. 

É JORNALISTA E ESCRITOR, AUTOR DO INFANTIL ‘ZIIIM’ E DE ‘ENQUANTO ELES CHORAM, EU VENDO LENÇOS’

Tudo o que sabemos sobre:
teatroWilliam Shakespeare

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.