'Cabras' reestreia no Espaço dos Fofos

Espetáculo da Cia Teatro Balagan tem três indicações ao Prêmio Shell 2016

Redação, O Estado de S. Paulo

23 de setembro de 2016 | 11h30

A Cia Teatro Balagan reestreia nessa sexta, 23, o espetáculo Cabras – Cabeças que setembro, às 21h, no Espaço dos Fofos. A montagem tem texto de Luis Alberto de Abreu e direção de Maria Thais. 

Cabras – Cabeças que Voam, Cabeças que Rolam tem como tema central a Guerra. Porém, a guerra que se encontra na criação da companhia não é o confronto direto em campo de batalha. Não é a guerra dizimatória. É aquela que pressupõe a relação com o Outro – o inimigo –, que é sonhada, esperada, narrada, fazendo-se presente em outras dimensões da experiência humana, nas manifestações sagradas, nas festividades, como atos de resistência e criação. 

O Cangaço, os movimentos de resistência ao Estado, as guerras não oficiais, intituladas como revolta, ou banditismo, e que sempre foram fortemente reprimidas (e findaram em geral com a decapitação e exposição das cabeças de seus líderes) foram o ponto de partida para a investigação das matérias cênicas.

O percurso da pesquisa se delineou em torno da tríade Guerra-Festa-Fé, três aspectos intrínsecos de uma ação de resistência e luta, cujos desdobramentos suscitaram uma diversidade de temas que tecem o território do espetáculo: o inimigo, a vingança, os conflitos parentais, o nomadismo, a cerca, o ethos guerreiro, o valor da palavra, entre outros, abordados sob diversas perspectivas. 

Do cangaceiro e do samurai, da mitologia hindu e da indígena, da cabra de João Cabral e da cabra de Dionísio, do pandeiro e da rabeca, da dança dos caboclinhos e dos cantos das Caixeiras do Divino, dos estudos biomecânicos e dos arquétipos animais do Kempô compuseram-se os corpos que narram, bem como as crônicas narrativas que integram o espetáculo.

A peça estreou em janeiro deste ano no Centro Cultural São Paulo, onde realizou temporada de dois meses. Posteriormente, integrou a mostra oficial do Festival de Teatro de Curitiba e realizou apresentações no Itaú Cultural. Nos próximos meses, integrará o Mirada - Festival Ibero-americano de Artes Cênicas de Santos e circulará por várias cidades do interior do Estado. Cabras foi indicada ao Prêmio Shell 2016, nas categorias Iluminação, Figurino e Música; ao Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) 2016 - na categoria Dramaturgia; e ao Prêmio Aplauso Brasil - categorias Iluminação, Direção, Figurino e Espetáculo de Grupo.

CABRAS – CABEÇAS QUE VOAM, CABEÇAS QUE ROLAM. Espaço dos Fofos. Rua Adoniran Barbosa, 151. Tel.: 3101-6640. 6ª, sáb., 21h; dom., 19h; 2ª, 21h. R4 20 / R$ 10. Reestreia 23/9. Até 17/10. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.