Rick de Eça
Rick de Eça
Imagem João Wady Cury
Colunista
João Wady Cury
Palco, plateia e coxia
Conteúdo Exclusivo para Assinante

ArCênico: Massacre no Recife volta à cena

Espetáculo 'Soledad – A Terra É Fogo Sob Nossos Pés' revela uma das vítimas do Cabo Anselmo durante a ditadura militar

João Wady Cury, O Estado de S. Paulo

14 de fevereiro de 2019 | 02h00

São duas apresentações na cidade, a última delas hoje, 14, no Galpão Folias. Soledad – A Terra É Fogo Sob Nossos Pés revela uma das vítimas do Cabo Anselmo durante a ditadura militar. Não era uma qualquer: a militante paraguaia Soledad Barret Viedma, sua noiva, foi torturada e fuzilada grávida com cinco companheiros no episódio conhecido como massacre da Chácara São Bento. O ex-militar José Anselmo dos Santos, agente infiltrado do Estado, entregou a todos. A atriz Hilda Torres está na pele de Soledad, direção de Malú Bazán. A filha de Soledad, Ñasamdy, participa do projeto. A peça segue para o Rio para duas apresentações, depois de passar por várias cidades brasileiras, além do Paraguai e Uruguai.

ELEVADOR DA LOUCURA 

Também com duas sessões, amanhã, 15, e sábado, 16, Loucura tem o ator Gabriel Miziara e direção de Marcelo Lazzaratto. Trata de um homem preso em uma caixa de luz, alimentado diariamente com uma maçã. Fala textos de Pessoa, Rilke, Dostoievski, Artaud. A peça é apresentada há 17 anos. Voltou para angariar fundos para a Cia. Elevador de Teatro Panorâmico manter o espaço que loca há 13 anos, na Rua Treze de Maio, 222, no Bexiga.  

QUE BRASIL É ESTE? 

Agora um respiro, ou quase isso, já que a montagem vai até abril. Estreia na próxima quinta, 21, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, o novo texto de Alexandre Dal Farra, dramaturgo que tem marcado sua carreira por uma peculiar visão do País e de seus habitantes, como mostrou recentemente na peça Refúgio. Esta tem nome curioso, Pornoteobrasil, mas, calma, não é o que você está pensando. A inspiração é um roteiro não filmado do cineasta italiano Pier Paolo Pasolini (Porno-Teo-Kolossal) para abordar temas como o passado e as memórias. “É como se o presente tivesse se tornado tão traumático e absurdo que chega a desorganizar o próprio passado”, conta o dramaturgo. “Há, porém, uma réstia de situação que engloba o caos, mas que tem razões de ser”. A direção do próprio Dal Farra e de Clayton Mariano. No elenco, André Capuano, Alexandra Tavares, Gabriela Elias, Ligia Oliveira e Vitor Vieira.

  

RUSSOS NA FRANÇA 

O Grupo Tapa continua a série de leituras dramáticas de autores russos nas duas próximas terças-feiras. As Três Irmãs, de Anton Tchekhov, será em 18 de fevereiro, e Os Veranistas, de Máximo Gorki, no dia 25. Sempre às 19 horas, no Teatro da Aliança Francesa.

3 perguntas para...

Álamo Facó

Ator, gosta de fazer amor no tempo livre

1. O que é ser ator?

Ter o corpo e a alma disponíveis para uma causa.

2. Uma peça revelação?

Mais Pesado Que o Ar, da Denise Stoklos. Ali vi o impacto de uma peça ao dialogar com a atualidade. Caíra um avião da TAM havia pouco.

3. Como gostaria de morrer em cena?

Na praia, dormindo, depois de fazer amor. Não como Cacilda, no palco. Mas se tiver de ser, por uma causa das minorias.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.