Oficina fecha o ano com maratona de 'Cacildas'

Cinco musicais sobre a atriz serão apresentados em duas semanas

Murilo Bomfim, O Estado de S. Paulo

12 Dezembro 2014 | 03h00

Se Zé Celso está prestes a descansar do conflito com o Grupo Silvio Santos, também vai dar um descanso à Cacilda Becker (1921–1969). Não sem antes dar um intenso até logo. A partir de hoje, o Teatro Oficina apresenta Odisseia Cacilda, montando por duas semanas, de 6ª a 3ª, cinco de seus sete espetáculos relacionados à atriz.

Na sequência: Walmor y Cacilda 64 – Robogolpe, Walmor y Cacilda 68 Aqui Agora, Cacilda!!! – Glória no TBC, Cacilda!!!! – Fábrica de Cinema & Teatro e Cacilda!!!!! – A Rainha Decapitada. “Eu queria ter feito todas, mas não teria tempo”, diz o diretor. “Levantar tudo de novo, inclusive com substituições, novos atores, é maravilhoso. Mas dá um trabalho imenso.” Segundo Zé Celso, as atrizes Bete Coelho e Anna Guilhermina toparam participar do projeto, mas as peças Cacilda! e Cacilda!! acabaram ficando de fora.

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;" CLASS="IMGEMBED

Para o diretor, apresentar as peças juntas é como criar um novo espetáculo, a exemplo da temporada que a companhia cumpriu na Alemanha com as cinco montagens que integram a saga de Antonio Conselheiro, em Os Sertões.

Com texto escrito integralmente em 1990 por Zé Celso e Marcelo Drummond, a história de Cacilda deve ganhar outros capítulos (a série pode chegar a 10 espetáculos) em 2016.

ODISSEIA CACILDA

Teatro Oficina.Rua Jaceguai, 520, Bela Vista, 3106-2818. A partir de hoje. 6ª, 21h; sáb., 20h; dom. a 3ª, 19h. R$ 2 (ingressos disponíveis 1h antes). 14 anos. Até 23/12.

Mais conteúdo sobre:
Teatro Zé Celso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.