Teatro shakespeareano Globe faz 1.ª turnê em 400 anos

Cia. de atores baseada no grupo vai se apresentar em 14 locais no Reino Unido

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 12h07

Atores shakespeareanos do teatro Globe, em Londres, vão partir em turnê pela primeira vez desde os tempos da Peste Negra na Europa. Uma companhia de atores que tem sua base no Globe - reconstruído perto do local onde ficava o teatro original nos tempos elizabetanos - vai embalar seus figurinos, acessórios de palco e instrumentos musicais para partir em turnê britânica este ano, numa van azul de acampamento. O grupo de oito atores vai apresentar Romeu e Julieta no Festival West End de Glasgow, no castelo de Leeds, em Kent, numa faculdade da Universidade Oxford e em 13 outros locais. "O Globe nasceu de uma cultura de companhias de teatro viajantes, e essa cultura continua a ser vital para ele", disse em comunicado o diretor artístico do Globe, Dominic Dromgoole. "Estamos felicíssimos por estarmos novamente explorando a tradição de levar Shakespeare para espaços não teatrais." A turnê dessa versão enxuta da clássica tragédia de amor de Shakespeare não é motivada pela ameaça da Peste Negra ou da desaprovação das autoridades de Londres, como foi o caso nos séculos 16 e 17, quando trupes de atores partiam em turnê para se afastarem da capital. Ao invés disso, afirmou o produtor James Erskine, o grupo espera "difundir o etos do Globe, de fazer de Shakespeare um evento". ´Romeu e Julieta´ Erskine, que quer fazer das turnês teatrais um aspecto regular do repertório do Globe, espera que o fato de as peças serem apresentadas ao ar livre torne as produções mais informais e atraia multidões. O Globe também está interessado em ver como a ambientação diferente vai afetar a peça e a maneira como os atores a interpretam. Dirigida por Edward Dick, a produção de Romeu e Julieta terá seu auge em Londres, em 2 de setembro, no campo de críquete Lords Cricket Ground, conhecido como o lar espiritual do esporte de verão que o império britânico difundiu para o mundo. "O que poderia haver de melhor do que duas grandes instituições trabalhando juntas?", disse Erskine. "Há a famosa cena do balcão, e o balcão mais famoso do críquete."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.