Municipal de SP abre temporada com óperas e homenagens ao Japão

O Teatro Municipal de São Paulo, queinicia a temporada de 2008 nesta sexta-feira, terá oitomontagens de óperas ao longo do ano, incluindo quatro novasproduções, como "Madame Butterfly", que faz parte dascomemorações dos 100 anos da imigração japonesa no Brasil. A ópera sobre a trágica história de uma gueixa apaixonadavai celebrar também os 150 anos de nascimento de seucompositor, o italiano Giacomo Puccini. A artista plástica Tomie Ohtake, 94 anos, que nasceu emKyoto e se naturalizou brasileira, será responsável pelosfigurinos e pelos cenários. A nova produção, com estréia emjunho, contará com 160 artistas no palco, entre membros daorquestra, solistas, atores e coro. A direção cênica será de Jorge Takla, diretor de óperas emusicais populares, como "My Fair Lady" e o inédito "West SideStory". A montagem chegou a ser realizada no Municipal do Rio deJaneiro nos anos 1990, também com assinatura de Ohtake e Takla,mas todo figurino e cenário foram perdidos em uma enchente. "Para homenagear o centenário e também Puccini, lembreidessa produção com a Tomie, que no meu entender é um símbolo doimigrante bem-sucedido no Brasil e nas artes plásticas", disseo maestro Jamil Maluf, diretor artístico do Municipal. "Madame Butterfly" terá cinco apresentações, e os ingressosjá estão à venda, nos valores de 10 a 40 reais. Outros eventos para celebrar os 100 anos da imigração serãoo concerto inédito no país de tambores japoneses do artistaKenny Endo, e as execuções de "From Me Flows What You CallTime", de T. Takemitsu, e "Trenodia para as Vítimas deHiroshima", de K. Penderecki. Das oito óperas da programação, outras três terão montagemnova, ao custo de cerca de 600 mil reais cada, como "Sansão eDalila", de C. Saint-Saens. As outras duas são "Amelia al Ballo", de Menotti, e "LeVilli", de Puccini. Obras de estréia dos dois compositores,elas serão encenadas no mesmo programa. 40 ANOS DE BALÉ DA CIDADE Outra data importante, desta vez dentro do próprioMunicipal, é o aniversário de 40 anos do Balé da Cidade de SãoPaulo. O grupo prepara nova coreografia para este ano, que serárealizada com o coreógrafo espanhol Cayetano Soto. Apósapresentação no Brasil, em julho, a companhia viaja paraBarcelona. Há também o projeto Circulação, que irá levar o repertóriodo grupo para bairros carentes da capital, como a favela SanRemo, em Butantã, e os bairros Guaianases e Sete Passos. Artistas mais populares estarão nas matinês ao longo doano, que acontecem uma tarde de sábado por mês. Zeca Baleiro éo convidado especial de março, com a apresentação inédita depoemas de Hilda Hilst musicados por ele. Yamandu Costa, Céu, Dori e Danilo Caymmi, e HermetoPaschoal são outros nomes que vão participar das matinês. Na abertura desta sexta-feira, a Orquestra SinfônicaMunicipal e o Coral Lírico interpretam a peça sacra "Um RéquiemAlemão", de Brahms. Os ingressos variam de 10 a 15 reais. Toda a programação do Municipal teve orçamento de 6 milhõesde reais. Os espetáculos até o final de junho já têm ingressosà venda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.