'Memphis' e 'Red' vencem Tony Awards

"Memphis", divertida revisão das origens do rock, e "Red", peça sobre o artista Mark Rothko, receberam no domingo os principais troféus do prêmio Tony, o mais importante do teatro norte-americano.

CHRISTINE KEARNEY E ELLEN WULFHORST, REUTERS

14 de junho de 2010 | 09h38

"Memphis", inspirado no DJ Dewey Philips, com muito rock, soul e gospel na trilha, ganhou o prêmio de melhor musical, numa cerimônia cheia de celebridades, realizada no domingo no Radio City Music Hall.

Em "Red", o ator britânico Alfred Molina encarna um intenso e frustrado Rothko. A peça foi a mais premiada da noite - seis troféus, inclusive o de melhor peça. Molina, no entanto, não ficou com o prêmio de melhor ator, entregue a Denzel Washington, por "Fences", do dramaturgo August Wilson.

"Minha mãe sempre diz: o homem dá o prêmio, Deus dá a recompensa. Acho que hoje recebi ambos", disse Washington, 55 anos, à plateia.

"Fences" recebeu também o prêmio de melhor atriz, para Viola Davis, e de melhor reencenação (a versão original desse drama conjugal é de 1987).

"A Gaiola das Loucas" recebeu o prêmio de melhor musical reencenado e de melhor ator de musicais (o britânico Douglas Hodge).

A melhor atriz de musical foi Catherine Zeta-Jones, em sua estreia na Broadway com "A Little Night Music". Recebendo o troféu, ela disse que se sentia "como Cinderela".

Scarlett Johansson foi outra personalidade do cinema reconhecida na festa dos palcos - melhor atriz coadjuvante de teatro, por "Panorama Visto da Ponte", de Arthur Miller. "Ser bem-vinda nesta comunidade é um sonho absoluto que se realiza."

Em frente ao Radio City Music Hall, centenas de fãs desafiavam a chuva para tentar ver ídolos de Hollywood convidados para a 64. edição do evento.

"Red" levou também os prêmios de melhor cenografia e direção. "Para mim, é o momento da minha vida", disse o dramaturgo John Logan ao receber o prêmio de melhor peça. A mesma peça, já encenada em Londres, deu também o prêmio de melhor ator coadjuvante para Eddie Redmayne.

"Memphis", que aborda secundariamente as relações raciais nos EUA na década de 1950, levou quatro prêmios.

O apresentador da cerimônia foi Sean Hayes, de "Will & Grace", que dividiu o palco com a banda Green Day, diante de uma plateia com nomes como Cate Blanchett, Will Smith, Antonio Banderas e Jay-Z.

O prêmio Tony, que só leva em conta produções da Broadway, é definido por cerca de 700 produtores, atores e dramaturgos. Ele foi criado em 1947, e o nome é uma homenagem à atriz, diretora e benemérita Antoinette Perry, conhecida como Toni.

(Reportagem adicional de Kati Wiessner e Dean Goodman)

Tudo o que sabemos sobre:
TEATROTONYAWARDS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.