Katie Holmes estréia na Broadway e deixa crítica dividida

A atriz norte-americana Katie Holmes recebeu críticas desiguais na sexta-feira por sua estréia na Broadway, numa nova produção de "All My Sons", de Arthur Miller. Contracenando com a premiada com o Oscar Dianne Wiest, o ganhador do Tony John Lithgow e o indicado ao Tony Patrick Wilson, Holmes "fez uma bela estréia na Broadway", na opinião do crítico Joe Dziemianowicz, do Daily News, que deu à estréia de Holmes um espaço em sua primeira página. "É preciso algum esforço para o espectador se acostumar a sua forma um tanto quanto grandiosa de falar, mas ela parece à vontade no papel e acrescenta um toque agradável de glamour à peça", ele escreveu. "Dançando com Lithgow e beijando Wilson, ela faz você esquecer que é a sra. Tom Cruise." Cruise estava na platéia, acompanhando a estréia de sua mulher, enquanto do lado de fora manifestantes contrários à cientologia gritavam "salvem Katie, fiquem com Tom". Tom Cruise é um dos membros mais conhecidos da Igreja da Cientologia, fundada em Los Angeles pelo escritor de ficção científica Ron L. Hubbard, mais de 50 anos atrás. "All My Sons" é baseado na história verídica de um empresário de sucesso que vendeu ao governo peças de aviões defeituosas durante a 2a Guerra Mundial, ciente do que estava fazendo, provocando consequências trágicas. A verdade vem à tona e sua vida desmorona quando seu filho decide casar-se com a filha de seu sócio, Ann, representada por Katie Holmes. "Ann deveria chegar à família Keller cheia de esperanças e boas intenções, mas Katie Holmes diz a maioria de suas falas em tom intencionalmente áspero, destacando cada palavra", escreveu o crítico do New York Times Ben Brantley. "Esta é uma Ann que saiu diretamente da escola das fúrias vingativas da mitologia grega, e não acredito por um instante que ela ame de verdade o ingênuo e honrado Chris", escreveu o crítico. Katie Holmes ficou famosa no seriado de TV "Dawson's Creek" antes de se casar com Tom Cruise, com quem tem uma filha de 2 anos, Suri. Mais recentemente ela foi vista no fracasso de bilheteria "Loucas por Amor, Viciadas em Dinheiro". O crítico Clive Barnes, do New York Post, disse que a melhor performance na peça é de Dianne Wiest. "All My Sons" foi encenado na Broadway pela primeira vez em 1947, dando prêmios Tony a Arthur Miller e ao diretor Elia Kazan. Foi adaptado para o cinema num longa de 1948 estrelado por Edward G. Robinson e Burt Lancaster e voltou a ser encenado na Broadway em 1987.

REUTERS

17 de outubro de 2008 | 19h23

Tudo o que sabemos sobre:
TEATROBROADWAYHOLMES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.