Helder Paes Monteiro
Helder Paes Monteiro

Festival de Teatro da Língua Portuguesa traz artistas de Portugal e da África ao Rio

Quarta edição do Festlip começa amanhã e vai até o dia 31; serão quarenta espetáculos em seis teatros

Roberta Pennafort,

20 de julho de 2011 | 15h19

RIO DE JANEIRO - Separados por um imenso oceano, aproximados pela língua e pelos laços culturais - os ancestrais e os recém-criados. De amanhã ao dia 31, artistas das áreas de dança, teatro e música do Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde e Moçambique se misturam no Rio para ver e serem vistos, discutir, ensinar e aprender. O Festival de Teatro da Língua Portuguesa (Festlip) alcança sua quarta edição tendo como desafio tentar desviar a rota dos espetáculos dos países africanos lusófonos da Europa para cá.

 

"Na Europa há muito interesse. Mesmo assim, o que a gente recebe da África está aumentando. Já o que o Brasil manda ainda é muito pequeno. Aqui não existe foco na África", explica a produtora Tânia Pires, criadora do festival, que há sete anos viaja os países de língua portuguesa (incluindo Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor Leste) dando aulas de teatro e se inteirando das produções relevantes de cada um.

 

Ela já tem catalogados 800 grupos. O número de inscritos só aumenta: este ano, foram cerca de 400. Entre eles, artistas que cruzaram uma dezena de países europeus, mas que nunca haviam estado na América do Sul.

 

"Cabo Verde deixou de ser colônia de Portugal em 1975, então os laços ainda são muito fortes. Na capital, temos dois voos diários para Lisboa; já para o Brasil, é um por semana. De lá , nos apresentamos na Europa inteira, mais do que no próprio continente africano", conta o produtor Jeffery Hessney, do grupo de teatro-dança de lá Raiz Di Polon, o homenageado dessa edição. "A familiaridade com o Brasil é muito grande, pela música e as novelas, o que não é recíproco." A abertura é hoje à noite, no Teatro Carlos Gomes, com a entrega do troféu ao grupo.

 

 

Os 40 espetáculos do Festlip, que ocupam seis teatros cariocas, são gratuitos (com distribuição de senhas). O grupo ABRAPALABRA Creacións Escénicas, da Galícia, vem como convidado "amigo da língua portuguesa".

 

Num palco montado na Cinelândia, estão programados shows. Oficinas direcionadas a atores e estudantes de teatro, palestras e debates também objetivam o intercâmbio entre os países. Toda a programação está no site www.talu.com.br/festlip.

Tudo o que sabemos sobre:
Festlip

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.