Era digital vira tema do festival teatral Fringe, em Edimburgo

O festival Fringe de Edimburgo, maiorcelebração das artes do mundo, que acontece na capital daEscócia, irá explorar todas nuances da era digital em sua novaedição deste ano. O premiê britânico Gordon Brown não será "homenageado", masseu predecessor, Tony Blair, terá dois espetáculos dedicados aele. Quase 19 mil artistas, incluindo 3.000 de fora do país,participarão do recorde de 2.088 espetáculos no Fringe, entre 3e 25 de agosto. O diretor do Fringe, Jon Morgan, disse na quinta-feira quea edição deste ano terá "uma seção sobre a mídia digital, aWeb, a Internet e os sites de relacionamento social -- tanto oslados positivos como os engraçados, além de alguns de seusaspectos negativos". O Royal Court Theatre de Londres tratará de relacionamentosem "Free Outgoing", no qual um videoclipe de celular de umagarota transando na sala de aula é difundido em todo o país.Dan Marsh relatará seu caso de amor no MySpace e a proleresultante. Há também espetáculos sobre o presidente do Zimbábue,Robert Mugabe, e os 20 anos de luta pela democracia no Mianmar."As pessoas realmente se interessam pelos problemas políticos",disse Morgan à Reuters. Em "Eco-Friendly Jihad", um ambientalista entra para a AlQaeda para lutar para reduzir as emissões de carbono dos EUA. "The Arab, the Jew and the Chicken", escrito e representadopor atores árabes, israelenses, judeus e muçulmanos, fala doconflito, da identidade e do cotidiano no Oriente Médio. Quarenta e sete outros países estarão representados noFringe, e Morgan disse que um problema crucial é a emissão devistos para muitos dos artistas vindos de fora da UniãoEuropéia. A programação do Fringe e as reservas para os espetáculosestarão disponíveis online a partir de 9 de junho no sitewww.edfringe.com.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.