Divulgação
Divulgação

Brecht inspira peça em Londres sobre a Primavera Árabe

LONDRES (Reuters) - O espírito da Primavera Árabe encontrou uma expressão teatral com a ajuda de um dos mais celebrados iconoclastas da Grã-Bretanha, Mark Ravenhill, que deu tons contemporâneos à peça Mãe Coragem e Seus Filhos (1939), do alemão Bertolt Brecht, que aborda um protesto do começo do século 20.

BARBARA LEWIS, REUTERS

31 de agosto de 2011 | 10h15

Seguindo os preceitos brechtianos, a peça tem entrada franca, e até o final da temporada, em 4 de setembro, terá sido mostrada a mais de 250 mil espectadores em Londres.

"Há um renovado interesse naquilo que acontece quando as pessoas protestam e se manifestam", disse Ravenhill à Reuters sobre sua decisão de reencenar a obra.

A primeira peça de Ravenhill, Shopping and Fucking, no começo da década de 1990, causou polêmica por causa do seu conteúdo de violência sexual explícita, mas foi saudada por sua crítica ao consumismo desenfreado.

Desde então, o dramaturgo já trabalhou em vários projetos, inclusive consagradas encenações no festival Edinburgh Fringe, na Escócia. Agora, prepara o libreto de uma ópera a ser encenada em Oslo.

Para Ravenhill, Brecht tem uma ressonância particularmente ampla, e pode dizer respeito aos países do Oriente Médio e Norte da África que vêm protestando contra seus governos, já tendo derrubado neste ano os regimes na Tunísia, Egito e Líbia.

"As peças de Brecht realmente viajam. Elas têm essa qualidade de fábula", disse Ravenhill. "Você pode realmente imaginar uma plateia árabe compreendendo Mãe Coragem."

Além de adaptar o texto, Ravenhill também encarnará um dos personagens nas últimas apresentações da temporada.

Tudo o que sabemos sobre:
TEATROBRECHTARABE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.