REUTERS/Irakli Gedenidze
REUTERS/Irakli Gedenidze

Netflix vai a tribunal por denúncia contra 'O Gambito da Rainha'

A enxadrista georgiana Nona Gaprindashvili pede US$ 5 milhões por danos morais

AFP, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2022 | 13h00

Uma juíza de Los Angeles declarou admissível o processo movido contra a Netflix pela georgiana Nona Gaprindashvili, uma lenda soviética do xadrez que acusa a plataforma de tê-la ofendido de forma sexista em sua série de sucesso O Gambito da Rainha.

Na série, um personagem afirma que Gaprindashvili "nunca enfrentou homens" na competição, ao contrário da heroína fictícia, a americana Beth Harmon, interpretada por Anya Taylor-Joy.

"É manifestamente falso, além de grosseiramente sexista e humilhante", específica a queixa apresentada em setembro passado pela campeã, agora com 80 anos. A campeã georgiana pede US$ 5 milhões da Netflix por danos morais.

Nona, que em 1978 se tornou a primeira grande mestre de xadrez da história, já havia enfrentado dezenas de jogadores proeminentes do sexo masculino em 1968, ano em que o O Gambito da Rainha deveria ocorrer.

A Netflix negou querer ofender a campeã e disse em um comunicado à imprensa que tinha "o maior respeito por Gaprindashvili e sua ilustre carreira".

A plataforma, no entanto, na época qualificou essa denúncia como “infundada”, argumentando que se trata de uma obra de ficção protegida pela Constituição norte-americana e sua primeira emenda, que garante a liberdade de expressão.

Em uma decisão emitida na quinta-feira, a juíza da Califórnia Virginia Phillips decidiu que uma obra de ficção não está imune a processos por difamação se prejudicar pessoas reais.

Nascida em 1941 em Zugdidi, no oeste da Geórgia, Nona Gaprindashvili joga xadrez desde os 13 anos. Ela venceu o campeonato mundial feminino aos 20 anos e defendeu com sucesso seu título quatro vezes, antes de perder sua coroa em 1978 para outra georgiana de 17 anos, Maia Chibourdanidze.

O Gambito da Rainha quebrou recordes com 62 milhões de visualizações em todo o mundo em quatro semanas e ganhou 11 prêmios Emmy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.