Eiichiro Oda
Eiichiro Oda

Mangá 'One Piece', que ganha versão live-action na Netflix, terá pausa na publicação

Plataforma divulgou vídeo com preparos para a produção da série baseada no mangá de Eiichiro Oda; confira

AFP, Redação

08 de junho de 2022 | 12h47

A Netflix divulgou em suas redes internacionais o início da produção da série em live-action baseada em One Piece, um dos maiores fenômenos dos quadrinhos. 

Aproveitando a Semana Geeked, a plataforma postou vídeo que mostra os navios Going Merry e Baratie sendo construídos.

A história trará os personagens em uma aventura East Blue e tem elenco formado por Iñaki Godoy como Monkey D., Mackenyu, que interpretará Roronoa Zoro, Jacob Romero Gibson como Usopp, Emily Rudd será Nami, enquanto o maior cozinheiro de East Blue, Sanji, Taz Skylar viverá Sanji, Peter Gadiot será Shanks, Alexander Maniatis será o vilão Klahadore.

Hiato na publicação

Após 25 anos de existência e 490 milhões de exemplares vendidas em todo o mundo, o fenômeno do mangá One Piece entra em sua fase final, anunciou o autor japonês Eiichiro Oda.

 

A série, com novas páginas publicadas todas as segundas-feiras na famosa revista Shonen Jump da editora Shueisha, entrará em um hiato de um mês a partir do final de junho e será retomada em 25 de julho.

"Quero reorganizar a estrutura para encerrar o capítulo final o mais rápido possível. Então... perdão, mas vou fazer uma pequena pausa para me preparar para tudo", explicou Oda em um texto publicado na conta oficial do mangá no Twitter.

Desde a publicação do primeiro volume em 1997 no Japão, a história da busca do One Piece, um tesouro cobiçado por todos os piratas, incluindo o protagonista Monkey D. Luffy, tem mais de 100 volumes e 1.000 capítulos.

A série é uma das mais populares do mundo e seu criador, de 47 anos, entrou para o livro dos recordes Guinness pelo "maior número de cópias de quadrinhos publicadas por um único autor".

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
animaçãoanimaçãoNetflixquadrinhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.