Reprodução de 'Scenes From a Marriage' (2021)/HBO
Reprodução de 'Scenes From a Marriage' (2021)/HBO

Filmando ‘Scenes From a Marriage’: ‘Eu chorava todo dia’

Jessica Chastain e Oscar Isaac detalham bastidores da produção da HBO

Alexis Soloski, The New York Times

13 de setembro de 2021 | 10h00

Houve dias da filmagem de Scenes From a Marriage, uma série de cinco episódios que estreou dia 12 de setembro na HBO, em que Oscar Isaac ficou incomodado com a equipe.

O problema não eram os integrantes da equipe propriamente, ele me disse por uma chamada de vídeo em março. Mas o trabalho exigido dele e de sua co-protagonista Jessica Chastain era tão íntimo - "É difícil! Chastain acrescentou por uma janela lateral do Zoom - que toda vez que um operador de câmera ou maquiador surgia, parecia uma intrusão.

Em seus outros projetos, Isaac tinha se sentido confortavelmente distante dos personagens e de suas circunstâncias - intriga interplanetária, IA desonesta. Mas Scenes aborda monogamia e parentalidade, um território familiar. Às vezes, Isaac ia filmar uma cena em que colocava sua filha no filme (Lily Jane) para dormir e então voltava pra casa e colocava seu próprio filho no mesmo modelo de cama que havia no set, com o mesmo abajur de coelhinho, e não sabia exatamente onde acabava a arte e começava a vida.

“Foi demais pra mim”, ele disse.

Chastain concordou, apesar de ter sido mais enfática. “Eu chorei todo dia por quatro meses”, ela disse.

Isaac, 42, e Chastain, 44, conhecem-se desde a época em que estudaram na Juilliard School. E canalizaram duas décadas de amizade, admiração e uma devoção obsessiva e compartilhada ao ofício no que Michael Ellenberg, um dos produtores executivos da série, chamou de “cinco horas de uma performance nua e crua” (A nudez é sobretudo metafórica)

“Para mim, definitivamente, foi muito pessoal”, disse Chastain durante a chamada realizada na primavera, cerca de um mês após o fim das filmagens. “É por isso que não sei se tenho uma outra como essa dentro de mim. Sim, não consigo saber. Nem posso falar sobre isso sem…” Ela afastou-se da tela (Foi um dos diversos momentos durante a chamada em que também me senti como um intruso)

O original Scenes From a Marriage, criado por Ingmar Bergman, estreou na televisão sueca em 1973. Com seis episódios, a primeira série televisiva de Bergman traça a dissolução de um casamento de classe média.  Estrelando Liv Ullman, a ex de Bergman, a série baseou-se nos próprios relacionamentos anteriores do sueco, embora nem sempre de forma direta.

O escritor e diretor Hagai Levi assistiu a série na adolescência, na televisão pública israelense, durante uma temporada em um kibutz. “Fiquei chocado”, ele disse. A experiência lhe ensinou que uma série de televisão poderia ser radical, poderia ser arte. Quando ele criou BeTipul, a precursora israelense de In Treatment, usou Scenes para provar que “duas pessoas podem falar por uma hora e pode funcionar”, Levi disse. (Estranhamente, Scenes também inspirou a novela Dallas)

Então quando Daniel Bergman, o filho mais novo de Ingmar Bergman, abordou Levi com a ideia da refilmagem, ele ficou imediatamente interessado.

Mas o projeto definhou, em parte porque amar uma série não basta para adaptá-la. O divórcio é comum agora - na Suécia e em toda parte - e a política dos relacionamentos da série original, na qual o personagem masculino abandona a mulher e os filhos pequenos por um cargo acadêmico, não envelheceu muito bem.

Mas há cerca de dois anos, Levi teve uma revelação. Ele iria trocar os papéis de gênero. Uma mulher que abandona seu casamento e o filho em busca de liberdade (com um empresário israelense muito atraente no lugar de uma professora visitante) ainda poderia provocar debates e interesse.

Então a Marianne e o Johan da série original tornaram-se Mira e Jonathan, com um subúrbio de Boston (recriado em um armazém no norte da cidade de Nova York) entrando no lugar da original Estocolmo. Jonathan continua um acadêmico e Mira, uma advogada na série original, é agora uma mulher de negócios que ganha mais que ele.

A seleção do elenco começou no início de 2020. Depois que Isaac encontrou-se com Levi, escreveu a Chastain para lhe falar sobre o projeto. Ela não estava disponível. Os produtores escalaram Michelle Williams. Mas a pandemia  mexeu com a agenda de todos. Quando a produção estava pronta para ser retomada, Williams não estava mais disponível. Chastain estava. “Para mim este foi o milagre mais incrível”, disse Levi.

Isaac e Chastain conheceram-se no começo dos anos 2000 na Juilliard. Ele estava em seu primeiro ano; ela, no terceiro. Ele a viu, pela primeira vez, em uma cena de uma tragédia clássica, esbofeteando homens como Helena de Tróia. Ele era amigo de seu namorado na época, e logo ficaram amigos também, ligados pelo trauma compartilhado de um currículo de atuação feito para destruir seus alunos e depois reconstruí-los novamente. Isaac lembra-se dela como “uma verdadeira força da natureza e sólida, completamente sólida, com uma integridade incrível”, ele disse.

Na janela ao lado, Chastain ficou vermelha. “Ele era super talentoso”, ela disse. “Talentoso de uma forma inesperada, desafiadora, indo contra ideias prontas”. Ela o apresentou a seu empresário, e eles celebraram seus primeiros sucessos e foram às estreias um do outro. (Algumas dessas fotos são usadas em Scenes From a Marriage como cenário)

Em 2013 Chastain foi escalada para A Most Violent Year, de J.C. Chandor, ao lado de Javier Bardem. Quando Bardem desistiu do filme, Chastain fez campanha para que Isaac ficasse com o papel. Semanas antes da filmagem, eles começaram a se encontrar para estudar a história de seus personagens - um marido e uma esposa tentando monopolizar o aquecido mercado de petróleo em 1981, em Nova York - os detalhes do casamento, os negócios, a vida.

Foi a primeira vez em que trabalharam juntos e eles sentiram uma conexão extremamente profunda. “Tem algo que nos conecta, algo mais forte que qualquer ideia de personagem, história, ou algo do tipo”, Isaac disse. “Tem algo a mais, como uma espécie de existência compartilhada”

Chandor percebeu que eles se apoiariam no set, e também se desafiariam, dando um ao outro a liberdade de levar o relacionamento entre os personagens para lugares sombrios e perigosos. “Eles têm essa confiança natural um no outro”, disse Chandor.

Essa confiança eliminou a necessidade de truques de atuação ou atalhos, em parte porque eles conhecem muito bem os truques um do outro. Seu lema, Isaac disse, era “Vamos descobrir essa (palavrão) juntos e ver a coisa mais honesta que podemos fazer”

Moni Yakim, o célebre instrutor de movimento da Juilliard, seguiu as carreiras dos dois de perto e observou o que chamou de “magnetismo e conexão espiritual” que eles sugeriram no filme.

“É uma espécie de química”, disse Yakim. “Eles podem ler a mente um do outro e você enquanto público consegue perceber”

Telepatia dá trabalho. Quando eles souberam que as filmagens de Scenes From a Marriage poderiam começar, Chastain comprou uma cópia de All About Us, um diário guiado para casais e preencheu suas seções como a personagem Mira. Isaac o levou para casa e mostrou para sua esposa, a cineasta Elvira Lind.

“Ela disse, ‘Você finalmente encontrou seu match’” Isaac se lembra. “’Alguém tão nerd quanto você’”

Os atores ensaiaram, com Levi e sozinhos, falando sobre seus caminhos em cada longa cena, ajudando um ao outro nas partes angustiantes. Quando a produção teve que parar por duas semanas, eles também ensaiaram.

Assistir a esses atores trabalharem levou Amy Herzog, uma escritora e produtora executiva da série, a lembrar-se de corridas de cavalos em plena velocidade. “São duas pessoas com tanto treino e habilidades”, ela disse. “Porque o que estão exigindo deles é uma façanha atlética”.

Mas treinamento, habilidades e o livro All About Us não foram suficientes como preparação para as consequências emocionais de filmar “Scenes From a Marriage”. Os dois atores geralmente se protegem quando trabalham, criando divisões psíquicas entre seus papéis e eles mesmos. Mas desta vez, as divisões não funcionaram.

 “Eu sabia que teria problemas desde a primeira semana”, disse Chastain.

Ela não conseguiu esconder como o roteiro a afetou, especialmente de alguém que a conhece tão bem como Isaac. “Eu me senti tão exposta”, ela disse. “Mais do que em qualquer outro trabalho, essa foi a vez em que estive mais aberta”

“Parecia tão perigoso”, ela disse./TRADUÇÃO DE LÍVIA BUELONI GONÇALVES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.