HBO
HBO

'Euphoria' está de volta; veja onde a série parou

Produção da HBO, que ganha segunda temporada, ainda traz retrato do ponto fraco da Geração Z

Sadiba Hasan, The New York Times 

10 de janeiro de 2022 | 11h26

Do alto, uma câmera dá um zoom através de uma nuvem de fumaça e ao longo de uma fileira de cabines de banheiro de colégio agitadas. Cada uma contém seu próprio mini-drama: um casal se beijando; amigos fofocam e usam drogas; uma garota segura o cabelo de uma amiga que bebeu demais; outra chora no banheiro enquanto olha para o telefone. É um corte transversal perfeito da vida adolescente moderna, conforme mostrado em Euphoria, a descrição sincera da HBO do ponto fraco da Geração Z suburbana.

Com sua cinematografia lindamente estilizada e atuação, música e maquiagem premiadas, a série foi aclamada entre telespectadores e críticos, ganhando três Emmys e nove indicações até o momento. A segunda temporada estreou no domingo, 9, e os espectadores finalmente tiveram a chance de verificar a situação da protagonista Rue (interpretada por Zendaya), viciada em drogas e que tinha acabado de ter uma recaída da última vez que a vimos.

No final da 1ª temporada, ela e sua melhor amiga, Jules (Hunter Schafer), fizeram planos para fugir juntos, mas Rue desistiu no último minuto. Jules saiu de qualquer maneira, deixando-a sozinha na plataforma enquanto o trem acelerava em direção à "cidade". (A série foi filmada no sul da Califórnia, mas locais específicos nunca são identificados.)

Dois anos e meio se passaram desde o final da primeira temporada. Dois especiais de uma hora desde então, ambientados poucos dias após os eventos do final, mostraram como foi o desenvolvimento dos personagens - o primeiro retrata uma conversa pós-recaída entre Rue e seu apoiador nos Narcóticos Anônimos, Ali (Colman Domingo); a segunda se concentra na primeira sessão de terapia de Jules após sua tentativa de fuga. O que trouxe Rue e Jules para aquela estação de trem? E de onde deixamos os muitos outros personagens da série? Você pode ter esquecido alguns detalhes desde o final da primeira temporada, em 2019. Aqui está uma atualização antes da tão esperada estreia da segunda temporada.

Cyber Sexploration

Jules e Kat (Barbie Ferreira), que desde muito jovem teve uma vida secreta online como uma famosa escritora de fan fiction na Internet, fizeram importantes descobertas na 1ª temporada sobre sua auto expressão sexual, e seus encontros online ajudaram, para melhor ou para pior . Há muito sexo em Euphoria, e os roteiristas do programa também incluíram interações sexuais do mundo digital.

Jules costuma usar aplicativos de namoro para conhecer homens. Um deles, que ela conheceu no episódio piloto, se chamava “DominadorDaddy”; os dois se conheceram em um motel, e uma cena de sexo difícil de assistir começou. Descobriu-se que “DominandorDaddy” era o pai do quarterback do time de futebol americano da escola, o tóxico Nate (Jacob Elordi), que tem sérios problemas com o controle da raiva e com o pai. (Nate descobriu a coleção de fitas de sexo de seu pai, muitas das quais envolviam parceiras mais jovens, quando ele tinha 11 anos).

Toxicodependência de Rue

Em uma idade jovem, Rue foi diagnosticada com transtorno obsessivo-compulsivo, além de transtorno de déficit de atenção e transtorno de ansiedade geral. Seus sintomas tornam a vida cotidiana difícil, e ela desenvolveu um vício em pílulas na adolescência.

Rue enfrentou um ano em reabilitação depois que sua irmã Gia a encontrou no chão, inconsciente e vítima de uma overdose. A série começou quando ela voltou para casa da reabilitação e imediatamente deixou claro que não tinha intenção de ficar limpa.

Foi quando ela conheceu Jules, uma garota transgênero que acabara de se mudar para o subúrbio, e com quem logo desenvolveu uma camaradagem. Ao longo da temporada, Rue foi emocionalmente dependente de Jules, e sua sobriedade dependia do relacionamento delas. Rue decidiu ficar limpa depois que um traficante de drogas chamado Mouse (Meeko) a forçou a provar fentanil, o que provocou um desmaio. Jules, que cuidou dela enquanto estava inconsciente, disse a Rue que só poderiam estar próximas se ela estivesse limpa das drogas. Rue quebrou sua promessa algumas vezes, mas ela conseguiu ficar sóbria por três meses até Jules fugir de casa.

Amor tóxico

Cassie (Sydney Sweeney) é uma garota de bom coração, mas com um passado difícil que continua a assombrá-la. Seu namorado, Chris McKay (Algee Smith), um jogador de futebol calouro de uma faculdade próxima, a ama. Mas ele mantém uma distância dela para minimizar as provocações dos colegas do time, como Nate, que viram diversos nus que ela publicou online. O casal claramente tem problemas de confiança, e Cassie nunca disse que ficou com um colega dele, Daniel, sem que ele soubesse - aliás, duas vezes. Mas ela contou a McKay sobre a gravidez que surgiu da relação com ele, o que terminou num aborto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.