NETFLIX
NETFLIX

‘Episódio’ Analisa: Sem nova temporada, 'The End of The F***ing World' será de despedida amarga

A produção inspirada no arco da HQ de Charles Forsman tinha nascido com um final certo, mas o público pediu mais

Clara Rellstab, Leandro Nunes e Simião Castro, O Estado de S.Paulo

02 de março de 2020 | 14h36

Quando The End of The F***ing World estreou já era para terminar. Sim, a produção inglesa lançada em 2017 no Reino Unido pela Channel 4 sacudiu o mundo do streaming e chamou a atenção da plataforma da Netflix, que acrescentou a série em seu catálogo em 2018.

The End of The F***ing World foi comentada no podcast Episódio - Séries para assistir no Carvanal por fazer o estilo de série com episódios curtos para maratonar de uma vez, ou entre um bloquinho e outro, na folia.

Tal qual o final da HQ de Forsman, a primeira temporada era o encerramento, mas o público já tinha se apaixonado. Após pedidos nas redes, a Netflix decidiu dar continuidade à produção, que ganhou estreia da segunda temporada em novembro de 2019.

Na trama, James (Alex Lawther) é um jovem de 17 anos que acredita ser um psicopata, por matar animais regularmente. Do outro lado está Alyssa (Jessica Barden), uma colega de classe rebelde que vê em James uma oportunidade para escapar de sua vida doméstica.

Pautada pelo absurdo, a série se apoia nos arquétipos norte-americanos, no exagero da organização da fotografia e edição, o que pode ser uma sugestão do estado da saúde mental das personagens. 

É daí que vem o humor em sua fina flor britânica. Apesar de estarem inseridos numa narrativa de estereótipos norte-americanos, o humor que a série traz é estritamente inglês, com diálogos autodepreciativos, ácidos e irônicos.

Outro elemento para se deliciar é a excelente trilha sonora, com preciosidades da música indie. Na primeira temporada, a trilha original é composta por Graham Coxon, guitarrista da banda Blur

Mas nem tudo são flores. Após a segunda temporada, não houve confirmação de que The End ganhará continuação. Em entrevista a RadioTimes, no ano passado, a criadora da série, Charlie Covell, afirmou que o fim é certo. "Penso que para mim chega. Sim, está feito. Acho que tentar tirar mais seria errado, gosto de onde deixámos [a história]", afirmou Covell. “Há pressão, mas há pressão porque as pessoas gostam de algo que fizemos juntos."

As duas temporadas de The End of The F***ing World estão disponíveis na plataforma de streaming.

Tudo o que sabemos sobre:
Episódio [podcast]série e seriado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.