Globoplay
Globoplay

'É no campo legal que evoluímos como sociedade', diz produtor da série 'Bluff City Law'

Série traz drama familiar e embate entre cidadãos comuns e grandes empresas

Mariane Morisawa, Especial para o Estado

27 de agosto de 2020 | 05h00

LOS ANGELES - Entra ano, sai ano, com era de ouro ou não, a televisão americana continua apostando em três pilares: os dramas médicos, policiais e de tribunal. “Uma das coisas mais admiráveis da nossa nação é nosso sistema legal. Às vezes, não damos a devida importância, mas é um foro onde nos unimos e fazemos nossas queixas enquanto país”, disse Dean Georgaris, produtor executivo de Bluff City LawLei de Memphis, que acabou de entrar no Globoplay, em evento da Associação de Críticos de Televisão, em Los Angeles. “Ali podemos decidir o que nós acreditamos ser certo e errado. Falando francamente, é no campo legal que evoluímos como sociedade, onde decidimos que algo que foi ok por 100 anos agora não é mais.”

Bluff City Law gira em torno do escritório de Elijah Strait (Jimmy Smits, de Nova York Contra o Crime e The West Wing), em Memphis, no Tennessee. Ele ficou conhecido por ser advogado em casos de justiça social. Sua filha Sydney (Caitlin McGee) está afastada do pai por conta de questões familiares, mas também profissionais, e trabalha numa grande firma de advocacia que defende empresas. “Seu idealismo lhe foi roubado por atritos pessoais e por momentos no tribunal em que as coisas não saíram como esperado”, disse McGee. “Não é raro que alguém se sinta derrotado pelas perdas e simplesmente desista. Então, ela simplesmente vai para o outro lado.” 

Mas Elijah acaba convencendo Sydney a voltar. A reaproximação é cheia de percalços, incluindo surpresas. “Nossa ideia era colocar na tela uma dinâmica familiar contemporânea e complexa com um pano de fundo do Direito”, disse o produtor executivo David Janollari. Os dois também têm estilos diferentes no tribunal. “Ele é mais conservador, e eu gosto de provocar uma batalha”, disse McGee. “Foi divertido trabalhar com alguém com tanta experiência como Jimmy Smits. Ele foi como um pai mesmo.” Apesar de já ter vivido um advogado na televisão, em L.A. Law, Smits, como McGee, contou com a consultoria de profissionais de verdade na cidade de Memphis, onde a série foi inteiramente gravada. 

Entre os casos que aparecem em Bluff City Law, alguns parecem saídos das manchetes de jornais, incluindo um em que um homem tentou alterar sua idade para se inscrever num site de namoro, argumentando que era a mesma coisa que uma pessoa requisitando a mudança de seu gênero. Logo no piloto, há a causa de um homem que sofre de câncer, provocado por produtos químicos. “Esse foi inspirado pela ação contra a Monsanto”, explicou Georgaris, referindo-se aos processos sofridos pela empresa em relação ao herbicida glifosato, apontado como o causador de câncer em milhares de pessoas. “Nós tratamos de assuntos como liberdade de expressão, privacidade, problemas com companhias de seguros, crise dos opioides, coisas que estamos debatendo agora. E é algo muito interessante porque as definições estão sempre mudando”, disse. O produtor executivo Michael Aguilar acrescentou que há muitas histórias humanas e relacionadas a Memphis. “Por exemplo, uma briga de dois irmãos por direitos autorais”, disse Aguilar. 

Em uma época de tanto cinismo, ser idealista parece ingenuidade. Mas os envolvidos em Bluff City Law acreditam que há espaço para ele. “Precisamos de idealismo. De esperança”, disse Caitlin McGee. “Nós necessitamos conhecer casos em que as pessoas prevalecem sobre as grandes empresas em que o pequeno ganha. Sem isso, tudo fica terrivelmente sombrio. Nós apresentamos as histórias humanas por trás de cada processo.” Jimmy Smits concordou. “O sistema judiciário é fundado na aspiração, porque dá oportunidade a vozes que não seriam ouvidas, faz com que erros sejam consertados. Queríamos mostrar as pessoas que verdadeiramente lutam por justiça.” Dean Georgaris defendeu mostrar o trabalho desses advogados sem cinismo. “Alguns dos maiores progressos da nossa sociedade nas últimas décadas foram encabeçados por advogados, por exemplo, o caso do tabaco”, afirmou ele, sobre o acordo em que as fabricantes de cigarro concordaram em parar a propaganda e pagar bilhões aos Estados por gastos com efeitos provocados pelo fumo. O segredo desse tipo de série é justamente oferecer um pouco de otimismo num mundo que parece tão injusto. Bluff City Law, no entanto, não conseguiu capturar o público ou o canal original e teve apenas dez episódios. 

Tudo o que sabemos sobre:
GloboPlaytelevisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.