AMC
AMC

Com clientes da vida real, 'Mad Men' escancara os bastidores da publicidade e do luxo dos anos 1960

Série com Jon Hamm estreia as sete temporadas na plataforma Starzplay; confira três motivos para maratonar a produção

Leandro Nunes, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2020 | 08h00

Todas as sete temporadas da série Mad Men vão entrar no catálogo da plataforma Starzplay a partir desta quinta-feira, 22. Bastante premiada, a trama levou Globo de Ouro e Emmy com uma trama ambientada na Nova York de 1960, em meio à Era de Ouro da publicidade. 

O protagonista, o ator Jon Hamm, no papel de Don Draper, é um profissional da propaganda bem-sucedido. A série criada por Matthew Weiner, o mesmo de Família Soprano, conta a rotina dos publicitários, desde a concepção de ideias e a disputa pelas melhores contas até as transformações históricas na mídia tradicional. 

Mad Men recria, com detalhes, o glamour da Madison Avenue, com festas extravagantes, álcool e smokings. Até hoje, a região em Nova York é endereço de diversas agências de sucesso. 

A produção, que estreou em 2007, é uma boa oportunidade para acompanhar os bastidores da comunicação, que, na época, se resumia a rádio, TV e mídia impressa. 


Confira três motivos para maratonar Mad Men.  

Clientes da vida real

A série retrata o trabalho dos publicitários em campanhas de marcas bem conhecidas mundialmente. Kodak, Hershey’s, Jaguar e Hilton são alguns dos clientes atendidos pelo escritório Sterling Cooper Draper.

Em um episódio, Don apresenta uma ideia que não foi bem recebida – sem citar o ketchup da marca Heinz, mostrar apenas alimentos que vão bem com o molho. Em 2017, a campanha foi ao ar na vida real, mais de 50 anos após sua "criação" na ficção.

 

Nova York e o mundo nos anos 1960

Dos figurinos à ambientação, Mad Men não perde a chance de citar acontecimentos reais, como a morte de Marilyn Monroe, os assassinatos do presidente dos EUA John F. Kennedy e do ativista Martin Luther King Jr., o homem pisando na Lua e o show dos Beatles em Nova York, em 1966.

 

O mercado profissional (e a moda) para as mulheres

O ator Jon Hamm não está sozinho. O elenco de atrizes deixa uma forte mensagem na série no que diz respeito ao ambiente de trabalho. Na primeira temporada, as personagens Peggy Olson (Elisabeth Moss) e Joan Harris (Christina Hendricks) enfrentam obstáculos em um local marcado pela presença masculina.

Enquanto Peggy ganha espaço na criação, Joan mostra suas aptidões para o atendimento. Os figurinos remontam o luxo da época. A repercussão da série inspirou uma coleção lançada por Michael Kors, em 2008. Confira o trailer da primeira temporada.

Para acessar a plataforma Starzplay, clique aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.