Tsafrur Abayov/AP
Tsafrur Abayov/AP

Zubin Mehta rege concerto em Gaza pela libertação de Shalit

Maestro rege Filarmônica de Israel para chamar a atenção para o sequestro do soldado Gilad Shalit

05 de julho de 2010 | 15h49

JERUSALÉM (EFE) - Dirigida por Zubin Mehta, a Orquestra Filarmônica de Israel fez nesta segunda, 5, um concerto na fronteira com Gaza para chamar a atenção para o sequestro do soldado Gilad Shalit, que está há quatro anos no cativeiro. "Toda Israel quer a libertação de Gilad e espero que seja libertado logo", disse o maestro no concerto que realizado na comarca de Eshkol, fronteira com a Faixa de Gaza.

 

Shalit foi capturado por três milícias palestinas em 25 de junho de 2006 e permanece detido desde então pelo Hamas, que em troca de sua liberdade exige a libertação de cerca de mil presos palestinos.

 

O concerto faz parte de uma série de atos organizados desde domingo da semana passada, quando os pais Noam e Aviva, iniciaram uma marca à pé desde sua casa na Galileia Superior até Jerusalém, para pressionar o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu por um acordo com o Hamas.

 

Saindo da esfera política, como é habitual para o maestro, Mehta pediu para "não se desvalorizar o poder da música" e se mostrou esperançoso de que "também do outro lado (Gaza) ela seja ouvida". Também pediu aos islamitas que autorizem a Cruz Vermelha a visitar o militar israelense. Nos quatro anos de cativeiro, o Hamas permitiu ao soldado israelense enviar três cartas e uma fita de vídeo a sua família.

Mais conteúdo sobre:
Zubin Mehta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.