Zizi grava inédita de Herbert Vianna

- Zizi Possi grava nesta sexta-feira, no AR Estúdio, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, música inédita de Herbert Vianna. Até onde Zizi sabe, a canção foi composta pouco antes do acidente de ultraleve sofrido pelo compositor do dia 4 de fevereiro. Chama-se, provisoriamente, O que é certo no amor e irá integrar o novo disco da cantora, previsto para ser lançado em agosto deste ano. O baterista dos Paralamas do Sucesso, João Barone, toca na gravação. Zizi soube da música por meio de Marcelo Castelo Branco, presidente da Universal, e amigo pessoal de Herbert Vianna. No entanto, foi Zé Forte, empresário dos Paralamas do Sucesso, que a convenceu de cantá-la. "Ele me disse que o Herbert, quando compôs, achou que a música tinha a minha cara", conta. O repertório do disco já estava fechado, mas Zizi abriu uma exceção. "Ela se encaixa exatamente ao conceito do trabalho", revela.A parceria entre Zizi e Herbert Vianna teve início em 1989. Em seu disco de despedida da Polygram, Estrebucha Baby, a cantora gravou Meu Erro, sucesso dos Paralamas registrado pela primeira vez no disco O Passo do Lui (1984). Voltou a interpretar uma composição do músico paraibano - Um Beijo Meu - no álbum Mais Simples, de 1996. "Essa música também não tinha título quando me foi entregue pelo Herbert e quem colocou o nome foi minha filha", rememora Zizi.A filha é Luiza Possi, com quem ela divide os vocais em uma faixa do novo trabalho. "Foi ótimo gravar com ela", afirma a mãe coruja. "Nossas vozes estão tão parecidas que as vezes não sei se sou eu ou ela quem está cantando." Além de João Barone e de sua filha, o disco tem participações de Chico Buarque e Edu Lobo. O sucessor de Puro Prazer (1999) ainda não tem nome. Provisoriamente, também, chama-se Preciso aprender a só ser, título de uma canção de Gilberto Gil regravada por ela. "Mas acho esse nome muito grande. É como chamar alguém de otorrinolaringologista", brinca. O novo trabalho de Zizi é bossa nova. Não no sentido fechado do gênero. Ela explica: "Eu enxergo células de bossa no trabalho de muita gente". Cita Sting e Sade. Para ela, bossa nova mesmo, é João Gilberto. No entanto, muita gente foi influenciada pelo compositor baiano. É aí que ela entra. Em Ibiúna, São Paulo, onde mora, reuniu-se com seus parceiros e começou a trabalhar. O resultado agradou a todos os envolvidos, a ela principalmente. Zizi canta duas músicas inéditas no disco. Uma é a de Herbert Vianna. A outra, é uma composição de José Linhares, violoncelista da Jazz Sinfônica. Canção e músico foram apresentados a ela por Chico César e foi paixão à primeira vista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.