Zé Ramalho lança "Nação Nordestina" em São Paulo

Um mês após apresentar-se na Praça da Paz do Parque do Ibirapuera para cerca de 70 mil pessoas, Zé Ramalho está de volta à capital paulista. A partir de hoje e até domingo, em curta temporada no Tom Brasil, o compositor paraibano apresenta as músicas que fazem parte de Nação Nordestina, 14º álbum da carreira, lançado este mês pela gravadora EMI. No show e no disco Zé Ramalho presta homenagem à cultura nordestina e demonstra sua indignação com a atual situação do país. Os principais destaques do repertório são a versão de Para Não Dizer que Não Falei das Flores, de Geraldo Vandré e as canções de Luís Gonzaga, João do Vale e Jackson do Pandeiro, que o compositor credita ser o ?trio de ouro? da cultura popular nordestina. Nação Nordestina marca 25 anos na carreira do compositor. Dividindo opiniões tanto da crítica quando do público, o disco não é diferente do que Zé Ramalho fez neste último quarto de século. Em estrutura lembra a Antologia Acústica que lançou há três anos. São dois Cd?s. No primeiro, canções lentas e políticas, no segundo, músicas para "ralar as coxas". Como era de se esperar, não faltam a tradicional mistura de forró com frevo batizada de galopada, as baladas à la Bob Dylan e as influências de Beattles. Em entevista recente ao Caderno 2, Zé Ramalho adiantou que o repertório do espetáculo irá misturar antigas canções e novos temas. "Nem todas as faixas de Nação Nordestina podem ser reproduzidas ao vivo", justifica. "Além disso, em meus shows eu sempre tenho de tocar algumas músicas que meu público exige, porque viraram clássicos."Zé Ramalho: Hoje às 21:30h no Tom Brasil (Rua das Olimpíadas, 66 ? Vl. Olímpia); Amanhã e sábado às 22h e domingo às 20h. Ingressos entre R$ 20 e R$ 50; Infomações pelo telefone: 38422326

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.