Yoko quer que morte de Lennon lembre vítimas de violência

A viúva de John Lennon, a artista japonesa Yoko Ono, pediu neste domingo que o aniversário da morte de seu marido, em 8 de dezembro, sirva para lembrar e pedir perdão a todas as vítimas de guerras e ações violentas. "Façamos com que a cada ano o 8 de dezembro sirva para pedir perdão aos que sofrem o insuportável", afirma a viúva de Lennon em um anúncio em formato de carta aberta publicado em uma página inteira do jornal The New York Times. A artista pede aos leitores do jornal que assumam a responsabilidade por não ter intermediado a favor daqueles que sofrem no mundo todo. "Saibam que o abuso físico e mental que suportam terá um efeito prolongado em nossa sociedade", escreve Yoko Ono em uma carta endereçada às vítimas. Yoko estava ao lado do ex-membro do The Beatles quando ele foi assassinado em frente ao edifício no qual vivia em Nova York, em 8 de dezembro de 1980. O assassino, Mark David Chapman, permanece preso em um centro penitenciário de Nova York. Em referência à perda de seu marido, Yoko diz na carta que não sabe se está pronta para perdoar aquele que apertou o gatilho, mas acrescenta que "o que se precisa urgentemente no mundo é cicatrizar as feridas". "Desejemos que um dia possamos dizer que curamos nossas feridas e, ao fazê-lo, as feridas do mundo", encerra a carta, intitulada Perdoai-nos.

Agencia Estado,

26 Novembro 2006 | 16h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.