Yamandú Costa divide o palco com Paulo Moura

Separados por quase meio século de idade e pelas distinções de origens, o gaúcho Yamandú Costa, de 24 anos, e o paulista Paulo Moura, de 71, ambos radicados no Rio, resolveram as diferenças num ótimo dueto de violão e clarineta. Está tudo no CD El Negro del Blanco (Biscoito Fino), que ambos mostram hoje em show único no Teatro Popular do Sesi. Moura já havia dividido um CD com outro virtuose do violão, Raphael Rabello, mas não nesse formato. "Há muito tempo tinha vontade de fazer um disco dedicado à música latina, que tivesse elementos da música brasileira", diz Moura. A equação é muito bem resolvida entre temas de compositores da Argentina (Decaríssimo, de Astor Piazzolla, Duerme Negrito, de Atahualpa Yupanqui, e Taquito Militar, de Mariano Mores); do Chile (Gracias a la Vida, de Violeta Parra); da Venezuela (Valsa Venezuelana, de Antonio Lauro); Cuba (De Camino a la Vereda, de Ibrahim Ferrer). Do Brasil, além da faixa-título composta por Yamandú, figuram Severino Araújo, Jacob do Bandolim, João Pernambuco e Turíbio Santos. Para completar, um belo pot-pourri de Baden Powell e parceiros. Foi num evento em homenagem a ele que Yamandú e Moura se conheceram. A dupla faz um trabalho abrangente sobre a música latina, com interpretações brilhantes.Paulo Moura & Yamandú Costa - Teatro Popular do Sesi, Avenida Paulista. 1.313, 3146-7405. Hoje, às 20 horas. Grátis. A bilheteria abre às 19 horas para ditribuição dos ingressos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.