Evelson de Freitas/ Estadão
Evelson de Freitas/ Estadão

Wynton Marsalis homenageia a MPB em show no Ibirapuera

Trompetista americano empolga público ao tocar obras de Hermeto Pascoal e Moacir Santos, a quem ele chama de mestre

O Estado de S. Paulo

29 Março 2015 | 21h20

Cerca de 15 mil pessoas acompanharam o encerramento do Brasiljazzfest, na manhã de ontem, 29, no Parque do Ibirapuera. Todos para acompanhar um tranquilo e precioso show do trompetista norte-americano Wynton Marsalis com a Jazz at Lincoln Center Orchestra.

Diante de um público formado principalmente por famílias com crianças e ciclistas, o músico escolheu um repertório atraente, que uniu tanto os clássicos como Dizzy Gillespie e Horace Silver, como obras de brasileiros do naipe de Hermeto Paschoal e Moacir Santos, de quem Marsalis já confessou ser fã.

O toque nacional já começou no primeiro número, Bebe, de Hermeto, seguido de Things to Come. E, depois de exibir seu virtuosismo em peças como Senior Blues, de Silver, e God’s Trombone, de Chris Crenshaw, Marsalis surpreendeu ao dividir a apresentação de O Ovo, outra obra de Hermeto, com o brasileiro Ari Colares, que tocou pandeiro.

O show durou pouco mais de uma hora e Marsalis ainda voltou com a orquestra para o bis, que incluiu, entre outros, Coisa n.º 8, do “mestre Moacir Santos”, como afirmou Marsalis que, na noite de sexta-feira, 27, na Cidade das Artes, no Rio, deu uma verdadeira aula – ele conduziu o público por um vibrante passeio pela música negra de origem americana.

Como sempre, Marsalis sentou-se no fundo da orquestra, ao lado dos trompetes, evitando qualquer destaque. 

Mais conteúdo sobre:
Música

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.