Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Woody Allen toca jazz para ajudar hospital católico em Roma

Por Philip Pullella

REUTERS

28 de março de 2011 | 11h55

ROMA (Reuters Life!) - O que faz um bom rapaz judeu do Brooklyn arrecadando dinheiro para um hospital católico pertencente ao Vaticano em uma cidade onde até 1870 o papado exigia que os judeus vivessem em um gueto?

Se esse bom rapaz judeu for Woody Allen, o enigma é solucionado com uma palavra de quatro letras: Jazz.

"Woody Allen and his New Orleans Jazz Band" encantaram uma casa cheia no Auditório Conciliazione de Roma, a três quarteirões do Vaticano e bem em frente à sinagoga do Rio Tibre.

A banda, formada por Allen no clarinete e seis outros músicos de jazz de primeiro escalão dedicados à tradição de Nova Orleans, tocou mais de uma dúzia de canções durante quase duas horas em benefício do Bambino Gesu, o mais importante hospital pediátrico da Itália.

"Amamos tocar jazz e sempre ficamos empolgados quando alguém vem nos ouvir -- encantados e surpresos, na verdade", disse ele ao público em seu clássico estilo auto-depreciativo.

As piadas pararam por aí, quase como se ele quisesse deixar de lado o Woody Allen ator/diretor/comediante para assumir seu lado músico.

"Vamos tocar canções de Nova Orleans dos anos 1910, 1920, 1930 -- canções que eram populares em igrejas, paradas, bordéis e salões de dança de Nova Orleans, então relaxem que vamos dar nosso melhor para entreter vocês", disse ele.

E de fato divertiram, com números como "Someday You'll Be Sorry", de Louis Armstrong, "Muskrat Ramble", de Kid Ory, "At The Jazz Band Ball", "That's A Plenty" e "Put On Your Old Grey Bonnet."

Também executaram uma versão sublime e comovente do tema religioso "Take My Hand Precious Lord" -- bem a propósito, quem sabe, considerando que a maior igreja do mundo, a Basílica de São Pedro, fica no final daquela rua.

Como testemunho do grande apelo da banda, via-se no auditório lotado de sábado desde adolescentes em jeans rasgados chegando de motoneta até casais idosos em elegantes limusines pretas paradas em fila dupla.

Já a banda estava menos bem trajada. Enquanto Allen exibia seu costumeiro estilo casual de calças e camisa desabotoada, o resto da banda teve que abdicar de seus ternos porque sua bagagem se perdeu durante o trânsito pela Espanha.

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAALLENIGREJA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.