Will Smith começa grande tributo a Nelson Mandela em Londres

Amy Winehouse e Queen se apresentam na comemoração de 90 anos do ex-líder sul-africano

Reuters,

27 de junho de 2008 | 16h02

O ator Will Smith deu início nesta sexta-feira, 27, ao show de comemoração dos 90 anos de Nelson Mandela, cuja visita a Londres foi ofuscada pelos acontecimentos no Zimbábue, onde a votação para presidente acaba de terminar. Amy Winehouse, Queen, Annie Lennox, Simple Minds e alguns dos maiores artistas africanos foram as estrelas que se apresentaram diante de Mandela, que completa 90 anos no mês que vem. "Há vinte anos, Londres recebeu um histórico concerto que pedia nossa liberdade", disse o ex-líder sul-africano, de aparência frágil, após a multidão ter cantado em coro um "parabéns a você". Os shows reuniram cerca de 50 mil pessoas no Hyde Park.   Veja também: Amy Winehouse cantará 'Free Nelson Mandela' em show   Foto: Reuters   "Peter Gabriel disse uma vez: 'se o mundo pudesse ter um pai, o homem que escolheríamos para ser nosso pai seria Nelson Mandela"', disse Smith para a platéia. "Nelson Mandela nos ensinou sobre amor e reconciliação, nos ensinou sobre justiça", disse o ator. O tributo ao estadista sul-africano coincide com o segundo turno das eleições no Zimbábue.   O líder oposicionista Morgan Tsvangirai boicotou a votação após uma série de ataques mortais contra seus seguidores. Durante sua estadia no Reino Unido, Mandela disse apenas quatro palavras sobre Mugabe, durante um discurso em um jantar: "trágico fracasso de liderança". Mas foi o suficiente para virar manchete. Mandela, o primeiro presidente negro da África do Sul, aposentou-se oficialmente há nove anos, mas ainda é uma autoridade moral bastante admirada. O show acontece 20 anos depois de um tributo no estádio de Wembley, quando Mandela ainda estava atrás das grades por se manifestar contra o apartheid.   Foto: Reuters Jerry Dammers, que ajudou a organizar o evento de 1988 e cuja canção "Free Nelson Mandela" tornou-se hino do movimento antiapartheid no Reino Unidos de 1980, também participou do show. Todos os olhos estavam voltados para Amy Winehouse, que no começo deste mês foi diagnosticada com início de enfisema pulmonar. A vencedora do Grammy cantou seu hit Rehab e Valerie, em sua primeira apresentação desde que deixou um hospital na Inglaterra nesta semana.    Foto: AP   A cantora, de 24 anos luta, contra a dependência de drogas. Seu marido, Blake Fielder-Civil, está preso, aguardando decisão judicial por ter atacado o dono de um pub e por conspirar para impedir a ação da Justiça.   (Matéria atualizada às 21h45)  

Tudo o que sabemos sobre:
Nelson Mandela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.