JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Whitesnake veste camisa do Brasil no Anhembi

Banda se apresentou neste domingo, 20, no festival Monsters of Rock

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

20 de outubro de 2013 | 21h56

O grupo britânico Whitesnake literalmente vestiu a camisa. O vocalista David Coverdale, um dos maiores ícones do rock'n'roll, subiu ao palco vestindo uma camisa com estampas, na frente e nas costas, de uma bandeira do Brasil estilizada (um logotipo do Whitesnake no centro). Outra bandeira do Brasil esperava no púlpito da bateria.

Fazendo juras de amor ao País, gritando "São Paulo" o tempo todo, Coverdale mostrou grande forma a partir da primeira música, Give Me All Your Love, e quando engatou um par de hits em sequência (Love Ain't No Stranger e Is This Love, que frequentam o dial das radios FM há décadas), o Anhembi sucumbiu de vez ao velho ato do hard rock.

A banda alternou peso e habilidade melódica, com grandes baladas no meio de grandes petardos - houve até um momento meio Crossroads (A Encruzilhada, filme de Walter Hill), no qual os dois guitarristas, Doug Aldrich e Reb Beach, medem forças e vão progressivamente se encaminhando para um ambiente de Delta do Mississippi, até se "fuzilarem" com uma gaita e solos virtuosos.

Coverdale, que quando começou na carreira de vocalista era tido como um imitador de Robert Plant, do Led Zeppelin, é ainda uma potência vocal. Ele se poupa um pouco em alguns agudos, deixando para a banda, mas não é porque não possa alcançá-los - é estratégia de veterano. Ele disse a Eddie Trunk, apresentador da jornada, que o Whitesnake faz o último show dessa turnê em Brasília, e logo em seguida eles tiram uma "folga para o Natal e a família". É um show de rock imperdível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.