Wanessa Camargo só pensa na carreira

Cabelos lisos esvoaçantes graças a um ventilador estrategicamente posicionado, biquinho de carência e um olhar que ora se perde no horizonte, ora encara a câmera languidamente. Wanessa Camargo, 19 anos, gravou anteontem em um estúdio de Moema o clipe Um Dia... Meu Primeiro Amor, música que não tem mais de cinco minutos de duração, mas que exigiu um trabalho de 13 horas ininterruptas. O play-back com versos como "Eu não sei o que é paixão/ Perguntei para o coração/ Ele disse que um dia virá/ Meu primeiro amor/ Eu sei que você está em algum lugar/ Estarei aqui quando você chegar" foram repetidos por diversas vezes. Esta é a música de trabalho do terceiro CD da cantora, que será lançado no próximo dia 18, e vem sendo executada há menos de uma semana nas rádios de todo o País. A canção já é uma das mais requisitadas por ouvintes, na maior parte - segundo os radialistas - meninas adolescentes que se identificam com a música lenta que fala sobre a dor de um amor perdido. Se não fosse a intérprete uma celebridade em ascensão no pop nacional, filha do sertanejo Zezé Di Camargo, Wanessa também poderia se enquadrar no grande grupo de adolescentes que cola o ouvido no rádio e se emociona diante dos versos românticos de Um Dia... Meu Primeiro Amor. "Não fui eu quem compus a música (a autoria é de César Lemos e Jason Deere), mas ela tem tudo a ver comigo! Com esse meu novo momento!", confessa a moça. Há aproximadamente um mês, Wanessa acabou o relacionamento tumultuado de um ano com o ator Dado Dolabella, movido por muitas idas e vindas, ciúmes da garota, noitadas do garoto e até palpites na imprensa de Zilú, a sogra do moço, com declarações na linha "ele não serve para a minha filha". Enquanto Dado segue em badalações pelas noites cariocas e paulistanas, quase sempre acompanhado de beldades (a última e mais constante delas é a atriz Deborah Secco), Wanessa resolveu investir nela mesma: entrou na malhação, perdeu 4 quilos e desfila por aí com miniblusas e minissaias, mostrando a forma física invejável. E como muitos que passam por um processo de rompimento, Wanessa cura a dor de amor mergulhando no trabalho. Lançou-se em carreira internacional, suas músicas constam entre as mais executadas em Portugal, sua agenda de shows está lotada até março e ela é o principal rosto de Jovens Tardes, projeto de Marlene Mattos que deverá se estender na grade da Globo no ano que vem. Entre uma pose e outra para as lentes, Wanessa concedeu esta entrevista ao JT. Com um jeito bem menos "celebridade intocável" do que a colega Sandy e cheia de sorrisos (e com pouca roupa sob uma garoa a 18° C), ela falou sobre o trabalho, os projetos e até o rompimento com Dado Dolabella. Jornal da Tarde - Está tudo bem na sua vida? Wanessa Camargo - Tudo ótimo! Estou na melhor fase da minha vida, quase chegando ao ponto que queria. Minha música está tocando nas rádios, faço shows. Estou passando por um processo de amadurecimento, tanto na carreira quanto pessoal. Virei uma workaholic. Estou respirando trabalho 24 horas por dia. Mas não é preciso dar espaço também para a vida pessoal? Ah, mas aproveitei muito a minha vida. Saí muito com minhas amigas, aprontei (risos). E continuo saindo também em algumas baladas, mas poucas em relação a outras fases. Até vou ao cinema de vez em quando. O último filme que assisti foi Sinais. Muito bom! Recomendo! E a letra de "Um Dia... Meu Primeiro Amor", não parece bastante sugestiva? Posso dizer que atualmente estou à procura de um grande amor. Na minha cabeça amor e paixão são diferentes. A paixão está entrelaçada com ciúmes, loucura. Já o amor, para mim, é um só. Amor só existe um. Acredito que Deus fez uma alma gêmea para cada um de nós. Então você acredita em alma gêmea? Claro! Não sei se vou encontrá-la aos 20, 40 ou 50, mas sei que um dia ainda haverá esse encontro. Me vejo ao lado de uma pessoa que eu ame e que esteja comigo para sempre, sabe? Os dois bem velhinhos. Hoje procuro minha alma gêmea, pois até agora eu só tive paixões. Elas são doloridas, difíceis de curar... Mas tudo bem, esses erros são essenciais para amadurecer e a pessoa ficar preparada para a chegada do grande amor. Seu novo CD deverá ser bem romântico? O disco está muito legal. Há canções românticas, sim, mas outras bem pop. Enfim, vai ter um pouco de tudo que gosto. E o "Jovens Tardes"? Entre os dias 20 e 30 de novembro, vamos gravar mais três programas: um especial para dezembro e dois para janeiro. Os temas já acertados são tropicália e temas de novela. Como você avalia essa sua nova fase? Na última entrevista que dei, eu disse que estava em conflito, meio criança, meio mulher. Hoje, posso garantir que sou uma mulher. Cresci e amadureci muito. Sei muito bem o que quero para mim. Planos para sair da casa dos pais estão nesse processo? Não! Jamais! Não consigo me ver sem meus pais e meus irmãos.

Agencia Estado,

07 de novembro de 2002 | 09h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.