Vozes da Osesp saem para sua primeira grande viagem

Samba, futebol, Amazônia e coro de câmara. A regente Naomi Munakata, diretora do Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, não se ilude quando diz que sua especialidade ainda não tem status de cartão-postal. Seis anos à frente de um grupo selecionado por ela mesma, Naomi faz história com seu coro a partir desta segunda-feira.O grupo de Naomi viaja para suas quatro primeiras apresentações internacionais, nas cidades espanholas de Gijón, Oviedo e Madri. A récita mais importante será quinta-feira, em Oviedo, quando as vozes de Naomi se unem à Osesp e ao coro da Fundação Príncipe de Astúrias, sob regência de Max Valdés e com participação da soprano Olga Savova, para a peça Alexander Nevsky, de Sergey Prokofiev (1891-1953). ´É um desafio juntar esses dois coros. Ao todo serão 140 pessoas. A massa sonora será violenta´, diz Naomi.Tudo será feito durante a entrega do 25.º Prêmio da Fundação Príncipe de Astúrias, que vai homenagear de Pedro Almodóvar a instituições como a National Geographic Society, a Unicef e a Fundação Bill & Melina Gates.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.