Voz de MiKa impressiona e baila na diversidade

Entre os CDs lançados este ano no Brasil, o sensacional segundo álbum de Amy Winehouse, Back to Black, já tem um concorrente poderoso entre os que se ouve com prazer e surpresa absolutos. Trata-se do bombástico e baladíssimo Life in Cartoon Motion (Universal), álbum de estréia do cantor Mika, de 22 anos, libanês radicado em Londres. Mais do que Amy, no entanto, ele parece ter tendência a criar uma sonoridade frankensteiniana. Ou seja, costura uma infinidade de referências - com partes de Elton John dos anos 70, George Michael, Freddie Mercury, Jimmy Sommerville, Scissor Sister, Sylvester, todos gays - pula de um gênero para outro, electro, balada-rock, soul -, o que não necessariamente resulta em monstruosidade. Ao contrário, além de ser bonitinho, mas não ordinário, suas canções são de uma felicidade urgente, com doses de frescura na medida da diversão.Mika tem uma bela voz, muito afinada, cativante e maleável, que vai do grave ao falsete, e de acento soul. Em Grace Kelly, o primeiro single e a canção com mais variações de andamento no CD, é possível identificar algum reflexo de Beach Boys, daí para o Queen. Lollipop, como sugere o título, tem a ingenuidade típica dos bubblegums do início dos anos 60. Como Mika é menos eficaz nas baladas (embora My Interpretation ganhe corpo com guitarras), o melhor da festa vem a seguir, com as dançantes Love Today (seu segundo grande hit) e Relax (Take it Easy), um tanto melancólica e calcada nos Bee Gees da fase disco.De Beirute a ParisAny Other World tem sua beleza reforçada por arranjo de cordas. A graça maior de Stuck in the Middle é o arranjo que remete a Beatles, baseado no piano. O sortimento sonoro corresponde à maneira como Mika fala de relações afetivas de diversas formas, amor gay incluído (Billy Brown, cujo personagem é pintado como uma ?vítima dos tempos?).Nascido em Beirute, Mika mudou-se com a família para Paris com um ano de idade, fugindo dos conflitos no Líbano. Já em Londres, na adolescência, fez de tudo um pouco, desde cantar em ópera até criar jingles publicitários. Começou a se tornar relativamente conhecido via internet, com o estouro de downloads de Grace Kelly. Daí veio um contrato para gravar e o despertar para a glória. Os mais céticos apostam que Mika tende a ser um daqueles ?one hit wonders?, mas ainda é muito cedo para saber. O que está valendo é que, embora não soe tão original quanto pretendem alguns, não há nada semelhante a ele no momento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.