Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

'Vocês me colocaram aqui hoje', diz Anitta em show no Rock in Rio

Driblando resistência do festival ao funk, cantora abriu palco mundo, trouxe hits nacionais e internacionais e ainda fez protesto tímido pela Amazônia

Leandro Nunes, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2019 | 19h36

Anitta está onipresente. No penúltimo dia do Rock in Rio, o som da cantora carioca já tocava pela cidade do Rock antes mesmo da artista subir no palco mundo, às 18h.

Apostar na força de todos os gêneros garante que o Rock in Rio seja, tal qual a própria música, um palco de encontros, plural. 

Do pop jovem de Bebe Rexha até o metal de Iron Maiden, tem dia para tudo. Mais cedo, por exemplo, no palco sunset, a Funk Orquestra - primeira do gênero no mundo - experimentou a sonoridade com artistas como Fernanda Abreu, Buchecha, Ludmilla. Kevinho estava confirmado para a atração, mas cancelou por motivos de saúde. Por lá, já tinha passado algumas das parcerias de Anitta.

Mas se engana quem pensa que ela só toca no funk ou pop. Às 20h20, a dupla de DJ Tropkillaz também deve tocar sua parceria com a artista no palco Dance New Order. E além. Essa semana, a cantora lançou música com Black Eyed Peas, que se apresenta mais tarde no palco e Anitta foi confirmada para cantar a nova música eXplosion.

Com um Show das Poderosas acompanhado da batida do funk, a cantora avisa que chegou e arrasta um público interessado em dançar e se divertir. Mais que um show, uma festa.

Em Paradinha, ela retoma um passado tão próximo quando começou a experimentar letras cantadas em espanhol. Colada na coreografia e refrão fácil, a cantora sabe produzir hits.

Pabllo Vittar não deu as caras, mas Anitta trouxe o sucesso criado no deserto do Saara. A despeito do conflito entre as artistas, por conta de valores - cerca de R$ 70 mil - que envolveram a produção de Na sua Cara, Anitta tocou a versão na voz de Pabllo. O assunto é serio. Hoje elas não se falam mais. 

Pouco afeita a participar de protestos e campanhas sociais e políticas nas redes, aliás, Anitta ja enfrentou críticas de seu público por não ter se posicionado nas últimas eleições. Ao fim da parceria sensual de Downtown, gravada com J Balvin, a cantora transmitiu um vídeo com cenas da Amazônia e a mensagem: Você precisa de ar.

É o tempo para a cantora voltar com novo look e a romântica Fica Tudo Bem, de Silva. Zen é outra para cantar com o par, assim como Cobertor, parceria com Projota.

Mas o forte de Anitta não é o amorzinho e muito menos só o funk. No show teve espaço para a sofrência de Loka, sertanejo de Simone e Simaria e de misturar Romance com Safadeza, na parceria com Wesley Safadão. Com tantos nomes, fica difícil pensar em nomes nacionais que não tenham encontrado a cantora nos palcos ou no estúdio. 

Terremoto, olha aí, com Kevinho, traz a batida do funk de volta. "Eu sempre agradeço vocês, mas hoje passou um filme na minha cabeça." Aplaudida, a cantora chamou o Movimento da Sanfoninha com a famosa frase: "Vocês pensaram que eu não ia rebolar minha bunda hoje?" 

De tanto rebolar, a artista precisa de umas pausas e a base gravada de músicas durante todo show permite que Anitta entregue uma performance mais pela dança e menos pela voz.

Acompanhada pelo coro "Ôôô, funk chegou". Os versos coroam a chegada da cantora no Rock in Rio que deixa sua mensagem: A favela chegou.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Rock in RioAnittamúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.