Carlo Allegri / Reuters
Carlo Allegri / Reuters

Você já ficou com ‘I Want It That Way’, dos Backstreet Boys, na cabeça? Junte-se ao clube

Sucesso dos Backstreet Boys completa 20 anos sem envelhecer; até comercial de Doritos no Super Bowl apostou no hit

Emily Yahr, The Washington Post

26 de abril de 2019 | 11h43

Numa cena da última temporada de Brooklyn Nine-Nine, o detetive Jake Peralta (Andy Samberg) pergunta a uma testemunha se ela reconhece alguém numa linha de reconhecimento da polícia. A testemunha diz que não, que estava escondida na hora do crime. Mas, acrescenta, “eu o ouvi. Ele estava cantando junto com a música do bar. Acho que a música era I Want It That Way (Eu quero assim).

“Backstreet Boys. Conheço”, diz Jake gravemente, e se dirige às pessoas que formam a linha de reconhecimento: “Nº 1, você pode por favor cantar o comecinho de I Want It That Way?”.  

Muito confuso, o suspeito começa a cantar e os outros também vão cantando, um a um. Jake fica tão empolgado com a cantoria (ele até contribui com um “Tell me Why-eee!”) que está completamente distraído quando a testemunha ouve o quinto da fila cantar e grita: “Foi o nº 5. Ele matou meu irmão”. Jake pula: “Meu Deus, esqueci dessa parte”. 

A cena é hilária, mas também crível. Em qualquer situação em que você esteja, é provável que alguém ao lado saiba algum trecho – às vezes, todos – da letra de I Want It That Way, o sucesso dos Backstreet Boys que está comemorando 20 anos.  Faça o teste. Dirija-se a alguém e cantarolar “You are ... my fire”. A  pessoa pode olhar para você como se olhasse para um doido, mas ela certamente sabe a sequência: “The one ... desire”.

Mesmo após duas décadas, o hit sobrevive – nas incontáveis versões cover, em inúmeras sessões de karaokê  e até no recente comercial Doritos Super Bowl estrelando Chance the Rapper. No mês passado, no iHeartMusic Awards, o BSB lançou uma nova canção – seguida, claro, de I Want It That Way, o que levou o público à loucura.  O que acontece com essa música?  

“O fato de ela continuar atraindo a atenção 20 anos após ter sido escrita, como nenhuma de minhas outras canções conseguiu, é simplesmente espantoso”, disse o compositor Andreas Carlsson, coautor de hits de ‘N Sync (Bye Bye Bye, It’s Gonna Be Me), Celine Dion (That’s The Way It Is, I’m Alive), Katy Perry (Waking Up in Vegas) e de muitos mais. Ele calcula que haja alguma coisa diferente em I Want It That Way que faz “vibrar um nervo” do ouvinte.

“A mágica por trás de qualquer canção que sobreviva ao teste do tempo não é ela ser apenas bem  feita, mas é ela mexer com emoções e fazer você realmente sentir alguma coisa”, disse Carlsson. Em I Want It That Way, ele destaca a clássica abertura com um riff de guitarra, os versos “suaves, mas um pouquinho inquietantes” e o coro, “que se se abre como se o sol estivesse nascendo”.

Carlsson lembra bem da manhã de 1998 em que o fenômeno pop sueco Max Martin chegou a seu apartamento com uma ideia para uma nova canção chamada I Want It That Way. Os dois compositores coincidentemente moravam no mesmo prédio em Estocolmo e ocasionalmente trabalhavam juntos. Martin, cujo caminho para a fama incluiu fazer os primeiros hits de Britney Spears, tocou para Carlsson uma gravação demo muito simples, com o coro e uns poucos versos, entre eles You are my fire / the one desire (poesia no estilo sueco, disse Carlsson).  

Como na maioria das canções simples, fazer a letra se tornou extremamente difícil. Eles quebraram a cabeça com um segundo verso, mas depois pensaram: por que simplesmente não repetir o primeiro?  O segundo verso ficou “Am I ... your fire? The one ... Desire?”. E eles eventualmente finalizaram o coro: “Ain’t nothing but a heartache / Tell me Why / Ain’t nothing but a mistake / Tell me Why / I never want to hear you sayyyyy / I want it thaaaat way”.

Carlsson é o primeiro a dizer que não existe nenhum sentido mais profundo por trás dos versos - apenas soou bem. Eles pensaram que seria a música perfeita para dar aos Backstreet Boys, que estavam reunindo canções para um novo álbum. Os membros do BSB ficaram fascinados com a música, mas os executivos da gravadora tinham uma ressalva.

“Eles perguntaram se não poderíamos reescrever a letra”, disse Carlsson, “que para eles não dizia nada”.

Eles pediram então ao produtor superstar Mutt Lange (Def Leppard, Shania Twain) que ajudasse a deixar a letra com mais liga. Os Backstreet Boys obedientemente regravaram a música. Mas depois a banda protestou – havia gostado mais da primeira versão. A letra podia ser meio esquisita, mas funcionava. A gravadora recuou e a canção voltou a ter os versos originais.

“A letra modificada realmente fazia mais sentido, mas perdia a pegada original”, disse o BSB AJ McLean à revista Bilboard  ao promover uma nova exposição sobre a banda no Los Angeles Grammys Museum.

Foi a escolha certa, especialmente com a produção estelar de Kristian  Lundin. I Want It That Way estourou logo ao ser lançada, em 12 de abril de 1999, como primeiro single do terceiro álbum de estúdio do BSB, Millennium. Ela ajudou Millennium a vender 1,1 milhão de cópias na primeira semana, quebrando o recorde da época (o álbum vendeu 13 milhões de cópias). Embora o BSB seja com frequência ridicularizado, os críticos parecem gostar de I Want It That Way. O  do jornal USA Today descreveu-a como “uma travesa apimentada de rhythm and blues suave”.     

A música foi indicada como canção e gravação do ano para o Grammy 2000, perdendo, porém, para Smooth, de Santana e Rob Thomas, nas duas categorias.

A magia continua. Dan Goor, um dos criadores de Brooklyn Nine-Nine, disse que I Want It That Way foi a primeira canção que os roteiristas da série escolheram para a cena no início mencionada. Quando perguntamos se haveria outra opção com a qual pudessem trabalhar caso não conseguissem os direitos autorais, ele disse que não. “Passamos uma hora tentando encontrar uma alternativa, mas, além dessa canção, nada se  encaixou.” /Tradução de Roberto Muniz

 

Tudo o que sabemos sobre:
Backstreet Boys

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.