DANIEL TEIXEIRA|ESTADÃO
DANIEL TEIXEIRA|ESTADÃO

Virada Cultural faz ‘esquenta’ no centro de São Paulo

Show com Ná Ozzetti, Dante Ozzeti e Marcelo Pretto deu a largada no ‘happy hour’, nesta sexta, 20

Redação, O Estado de S. Paulo

20 de maio de 2016 | 22h23

O frio que marcou o final da tarde de ontem em São Paulo não impediu que cerca de 300 pessoas acompanhassem o “esquenta” da Virada Cultural deste ano, no show de Ná Ozzetti, Dante Ozzetti e Marcelo Pretto. A apresentação ocorreu na esquina das ruas Direita e Quintino Bocaiuva, no centro de São Paulo.

Ao contrário dos anos anteriores, a 12.ª Virada Cultural teve uma espécie de “happy hour” na noite da sexta, 20, antes da abertura oficial, prevista para as 18 horas de sábado, 21. Assim, durante cinco horas (entre 18 h e 23 h), a região foi ocupada por rodas de samba, festa de música eletrônica, apresentações de jazz hip-hop.

A suntuosidade da arquitetura do palacete Tereza Toledo Lara, que agora abriga a nova sede da Casa de Francisca, compunha um curioso cenário, especialmente quando os artistas ocuparam a sacada para se apresentar.

Diante de um público heterogêneo, marcado tanto por pessoas que saíam do trabalho como por famílias que trouxeram inclusive seus bebês, a Virada começou extraoficialmente com a passagem de som da banda carioca de rock Autoramas. Eram pouco mais de 18 horas e o som chamou atenção das pessoas que habitualmente passam apressadas pelo local. Mais alguns minutos, uma centena de curiosos acompanhou o show, que aconteceu no largo do Paysandu, diante da Galeria do Rock.

A Secretaria Municipal de Cultura programou 11 atrações para essa espécie de ensaio-geral da Virada. Além dos shows dos Ozzetti e da banda Autoramas, estavam previstos o festival de rua Garageira, a festa de dub e reggae Dubversão, a apresentação do grupo de compositores Berço de Samba de São Mateus, a festa de “twerk” Batekoo, a roda do Samba da Vela.

A programação se completava com a mostra audiovisual itinerante Laço, o projeto Jazz na Kombi, shows no Estúdio Lâmina, encontros dos DJs Hum, Febas e Dindo Picadinha, além de apresentações do cantor João Borba e dos artistas da Casa de Francisca.

A maratona da Virada Cultural começa oficialmente neste sábado, 21, às 18 horas, com o show do cantor Ney Matogrosso, no palco montado na Praça Júlio Prestes.

Até as 18 horas de domingo, 22, quando serão realizados os shows do Nação Zumbi, na mesma Júlio Prestes, e outro em homenagem a Cauby Peixoto, na Praça da República, o evento vai ocorrer em diversos pontos da cidade (no centro e nos bairros), além de unidades do Sesc.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.