Violino Stradivarius é leiloado por R$ 4,8 milhões

Um Stradivarius fabricado em 1729, conhecido como "Solomon, Ex-Lambert", foi leiloado hoje por U$ 2,4 milhões (R$ 4,8 milhões) pela casa Christie´s em Nova York, e se tornou o segundo violino mais caro da história.O leiloeiro foi o canadense, Rick Heinl, que após bater o martelo se recusou a revelar à imprensa a identidade do comprador."Dentro de pouco tempo ouviremos falar dele", limitou-se a responder a uma pergunta da Efe. Através de seu representante, o comprador disse que cederá o instrumento a artistas que estejam à sua altura.A casa Christie´s estimava que o preço do Stradivadius ficasse entre US$ 1 milhão (R$ 2 milhões) e US$ 1,5 (R$ 3 milhões), mas vários compradores na sala e através do telefone superaram rapidamente este valor em um remate que durou vários minutos e acabou quando nenhum outro comprador superou o lance de US$ 2,4 milhões (R$ 4,8 milhões).O violino chamado de "Solomon, Ex-Lambert", mesmo nome de seus últimos proprietários, foi o último vendido de um lote com outros 254 instrumentos de música.Seu nome deriva de Seymour Solomon, co-fundador do selo Vanguard Records, que o comprou em 1972, e de Dorothy Mary Murray Lambert, uma violinista britânica que foi sua proprietária anteriormente.Kerry Keane, diretor do departamento de InstrumentosMusicais da Christie´s havia dito à Efe, antes do leilão, que o valor estimado do "Solomon, Ex-Lambert" era conservador. "Stradivarius fabricou este violino quanto tinha 85 anos de idade,oito anos antes de morrer. Seus violinos do período maduro são os mais desejados entre os intérpretes porque possuem um som magnífico", explicou Keane.O "Solomon-Ex Lambert" foi fabricado em Cremona e se distinguepor seu "desenho masculino" e um "som redondo capaz de ocupar todoo espaço" de uma sala de concertos, disse Keane.O violino mais caro da história até agora foi um Stradivarius também leiloado pela Christie´s de Nova York por UU$ 3,5 milhões (R$ 3,5 milhões). Conhecido como "The Hammer", esse violino foi feito porAntonio Stradivarius em 1707, em Cremona (Itália), no chamado "períododourado" do fabricante, o mais cotado pelos especialistas e colecionadores de instrumentos musicais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.