Viáfora faz festa de seu novo álbum

Os meninos percussionistas doprojeto Barracão dos Sonhos, da favela de Paraisópolis, recebemsábado, às 16 horas, o compositor e cantor Celso Viáfora, para afesta de pré-lançamento do disco Basta um Tambor Bater. Ospercussionistas mirins participam do disco, tocando na faixaPapai Noel de Camiseta.É o samba que encerra o disco - todo de sambas. Não éinédito: foi gravado por Ivan Lins, em 1999, no CD Um NovoTempo. Ivan havia resolvido fazer um CD com músicas de Natal.Encomendou a Celso, a quem pouco conhecia, "uma música de Nataldiferente". Uma que falasse de um Natal menos idealizado, maisperto da realidade brasileira.Celso imaginou um Papai Noel chegando na favela, nocortiço, numa vila suburbana pobre - num desses Brasis que oBrasil, em geral, prefere omitir. O samba começa assim: "PapaiNoel irá chegar de camiseta/ Metido num chinelo e de bermudajeans/ Tocando um agogô em vez de uma sineta/ Cantando do xará oPalpite Infeliz/ Então será Natal/ A noite vai ser maisfeliz."Blocos mirins - No fim dessa festa, segue a narrativa:"E surgirão blocos mirins/ De suas camas de jornal/ E dragqueens/ Os reis magos do carnaval/ De pé no chão/ Os solitáriosda paixão/ Um tamborim/ Alguém trará um violão/ Um bandolim/ E amultidão vai sambar com a batida dos sinos/ Ali no morro nascerámais um menino/ E, no primeiro sol, virão os bem-te-vis/ Num diade Natal/ A gente pode ser feliz."Quando o próprio Celso foi gravar seu novo disco, nosemestre passado, resolveu incluir Papai Noel de Camiseta norepertório. Lembrou-se de uma visita que havia feito ao Barracãodos Sonhos. Lá, o percussionista Dinho Rodrigues montou umabateria com menores carentes - hoje, são 200, os integrantes. Amúsica do Barracão dos Sonhos é o fator de aglutinação dascrianças, mas o projeto faz varrição de ruas, retira os meninose meninas dos sinais de trânsito, inaugurou um cinema, um postomédico do Hospital Albert Einstein - entre muitos benefícios.Por que não gravar com eles, então? Celso tinha, paraacompanhá-lo nas gravações de Basta um Tambor Bater, osmelhores músicos do samba - Carlinhos Sete Cordas, Gordinho,Paulão, Belóba, Felipe de Angola, Mauro Diniz e mais uma dúziade grandes nomes. Mas aquele samba era dos meninos. Eles eram ospersonagens que, sem perceber, Celso havia cantado. Fez umaseleção dos pequenos percussionistas, escolheu 11 deles e oslevou até o Rio, onde estavam sendo feitas as gravações. E voltapara fazer o lançamento do disco com os novos companheiros deestúdio.Não haverá improviso. O show de lançamento será dirigidopor Túlio Feliciano, com direção musical do contrabaixista SizãoMachado e participação do pianista Fábio Torres, do violonista ecavaquinhista Rodrigo de Campos, do baterista Edu Ribeiro e dospercussionistas Da Lua e Théo da Cuíca - com a participação dosmúsicos do Barracão dos Sonhos. No repertório, além do samba quemotivou o encontro, as outras músicas do CD - que foi recebidopela crítica do Rio como um dos grandes discos de samba do ano.O lançamento formal, em palco italiano, será daqui a um mês, naTom Brasil. Celso Viáfora. Sábado, às 16 horas. Campinho de Terra do Palmeirinha Paraisópolis. Rua Melchior Giola, s/n.º. Sábado, às 16 horas.

Agencia Estado,

13 de setembro de 2001 | 16h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.