Venda de música via internet cresce 10 vezes

O número de downloads ilegais de música em 2004 foi mais de quatro vezes superior à compra legalizada de canções, segundo um relatório divulgado pela IFPI, a entidade que representa a indústria fonográfica mundial. Em 2004, foram registrados 200 milhões de downloads legais nos Estados Unidos e na Europa. Ilegalmente, 870 milhões de canções teriam sido "baixadas" por meio de serviços na internet como Kazaa, Fasttrack e eDonkey, segundo a organização.No entanto, o relatório adota um tom otimista e ressalta que o número de downloads legais foi dez vezes maior do que no ano anterior, e que os ilegais ficaram cerca de 30 milhões abaixo dos números registrados no ano anterior."O maior desafio para a indústria de música digital sempre foi fazer a música ser mais fácil de ser comprada do que roubada. No início de 2005, essa ambição está se tornando uma realidade", afirmou o presidente da IFPI, John Kennedy.No relatório Digital Music Report 2005, a IFPI conclui que a música em formato digital entrou definitivamente no dia-a-dia dos consumidores.A organização afirma ainda que a popularização da compra de música em formato digital se deve ao imenso sucesso comercial dos tocadores de arquivos mp3, liderados pelo iPod, da Apple, com o seu serviço de venda de música na internet, o iTunes, e o Napster, além de telefones celulares de última geração.O número de sites que vendem música legalmente também teria sido quadruplicado em 2004, chegando a mais de 230, espalhados por mais de 30 países. A oferta de músicas em formato digital também foi dobrada desde o ano passado. Hoje, segundo a IFPI, seria possível comprar mais de 1 milhão de títulos pela internet.No entanto, a associação admite no relatório que a pirataria digital continua a ser uma grande preocupação. Segundo o documento, mais de 7 mil processos foram abertos em sete países da Europa e nos Estados Unidos contra internautas que "baixam" música ilegalmente.Em 2005, o número deve crescer ainda mais e ações devem ser tomadas em outros países, segundo a IFPI.O relatório destaca ainda a estimativa dos analistas de mercado Jupiter, que avaliaram o mercado de música digital em cerca de US$ 330 milhões, de que o valor deve ser dobrado nos próximos 12 meses. A IFPI também diz no relatório sobre música digital que os internautas aceitam cada vez mais a idéia de comprar música online. Segundo uma pesquisa realizada na Dinamarca, na França, na Alemanha, na Itália, na Áustria e na Grã-Bretanha, 31% dos internautas se dizem dispostos a comprar música online nos próximos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.