Venda de CDs cai em todo o mundo

Novos números confirmam o que muita gentejá suspeitava: a indústria fonográfica internacional está comproblemas - e sérios. As vendas de discos despencaram 7% em todoo mundo em 2002, uma queda ainda maior do que os 5% registrados noano anterior. Com acontecimentos como a demissão de milfuncionários da Sony Music nas últimos semanas, os sinais dacrise ficam cada vez mais alarmantes.Os analistas da indústria não ficaram surpresos com a revelaçãodos números relativos a 2002 divulgados pela FederaçãoInternacional da Indústria Fonográfica, que registram uma quedade 6% na venda de CDs e 16% nos singles. A venda total de CDsficou na marca de US$ 32 bilhões.O mercado de música sofre principalmente por conta da pirataria(profissional, com CDs vendidos em camelôs, e caseira, com acópia de um único disco para um grupo de pessoas) e dos serviçosde file sharing, mas há a concorrência dos novos formatos, comoo DVD.Com a morte dos cassetes (36% a menos nas vendas) e das fitas deVHS (queda de 42%), o DVD reina, com um aumento de 58% emrelação ao ano anterior. O problema é que o dinheiro gasto comDVDs - e videogames - é o mesmo que não é investido em CDs.Se o declínio já estava previsto, ele confirma, no entanto, queas campanhas para tentar conter a pirataria (incluindo anúnciosem que astros da música pedem aos fãs para não baixarem músicasda internet) não estão funcionando. Resta saber se a tentativade proibir a distribuição de arquivos digitais em escolas egrandes empresas vai dar resultados.Uma análise mais detalhada do problema reflete outras tendênciasde mercados específicos. Nos Estados Unidos, onde os serviços debroadband vêm sendo disponibilizados em um número cada vez maiorde cidades, a queda nas vendas de CDs chega a 10%. Menos artistas conseguem atingir marcas impressionantes devendas e a situação atual beneficia nomes do rap - cujo público,em geral, tem menos acesso a conexões rápidas e computadoresequipados para copiagem de CDs.No Brasil, a situação não é muito animadora. De acordo com aIFPI, o país viu um crescimento de 4% nas vendas de CDs, mas ofenômeno explica-se com as liqüidações dos estoques em funçãodos números registrados em 2001. A entidade aponta que há boas notícias: o lançamento de serviços"legítimos" de venda de música na internet (incluindo o website brasileiro imusica.com.br) e o sucesso de artistas comoEminem, Norah Jones, Red Hot Chili Peppers e Avril Lavigne.

Agencia Estado,

09 de abril de 2003 | 13h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.