Vem aí o Skol Beats, o maior festival do mundo

Mais uma vez, o Skol Beats deste ano vem carregado de superlativos. Para começo de conversa, seus organizadores vêm chamando o evento do "maior festival de música eletrônica do mundo". São vários fatos que comprovam essa premissa. Serão 90 atrações musicais (entre nacionais e internacionais), em 20 horas de música, espalhadas em cinco palcos e um trio eletrônico, numa área de 207 mil metros quadrados (40 mil a mais que em 2005). A expectativa é que mais de 57 mil pessoas compareçam ao festival, no dia 13 de maio. Esse contingente terá a oportunidade de se deliciar com uma escalação pra lá de eclética. A maior atração da noite é, sem dúvida, o Prodigy, que tocará no Live Stage à 1 hora. Para os desmemoriados, o grupo já passou por São Paulo, em maio de 1999 (em uma apresentação pra lá de picareta). Keith Flint e cia. haviam sidos escalados para o Close-Up Planet, de 1998 (que rolou no Rio de Janeiro), mas um problema em um parafuso fez o palco ceder e o festival inteiro foi cancelado. A banda tentou, mas o show do ano seguinte mostrou uma banda em clima de férias, sem a mínima vontade de estar à frente do público. Desta vez deve ser bem diferente. A banda vem apresentar a coletânea Their Law: Singles 1990-2005, lançada no final de 2005. Clássicos das pistas como Firestarter, Breathe e Smack My Bitch Up devem fazer o Anhembi entrar em órbita. Outro que deixará a platéia aquecida para o show dos ingleses é o LCD Soundsystem, que tocará sua fusão de rock, dance e funk às 23h15, no mesmo Live Stage. Mais uma atração concorrida será o duelo entre Mau Mau e Anderson Noise, fechando o evento. Nas outras tendas, o DJ Marky comanda, chamando amigos como Patife e Andy C, enquanto no The End os bambas da tecno e house music como Timo Maas e Sven Vath devem fazer o consumo de água triplicar. Um trio elétrico com Daize Tigrona, Ed Motta e Marlboro também deve fazer a poeira levantar. Comodidades e interação Neste ano, o festival estará mais interativo do que nunca. No portal do evento, o usuário baixará um programa para o celular onde poderá customizar seu próprio line-up do festival, agendando hora e artista que queira assistir. Na questão segurança, estarão disponíveis, em média, um segurança para cada quatro pessoas. Serão três praças de alimentação, 400 banheiros químicos e 450 fixos. Os organizadores pediram para que o público evite o horário de pico, entre 22 horas e 0 horas. Para facilitar, ônibus sairão dos terminais Barra Funda e Tietê durante todo o dia. Um bolsão de táxi promete atender a toda demanda de público, segundo seus organizadores. Mesmo para quem não estiver em condições de voltar dirigindo após o evento, o estacionamento funcionará com a mesma taxa até as 18 horas do dia seguinte ao festival. Vale lembrar que os ingressos já estão à venda.

Agencia Estado,

17 de abril de 2006 | 15h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.