Velhas Virgens lança CD com marchas de Carnaval

Os roqueiros não podem mais se queixar de falta de opção de lazer durante o Carnaval. A banda paulistana Velhas Virgens acaba de lançar o CD Pacotão de Férias - Reveillon 2001. O trabalho traz nove músicas inéditas do irreverente grupo que se autodenomina a "última banda de rock´n´roll". Mas, surpresa, o CD traz apenas marchas carnavalescas com guitarras distorcidas, compostas pelo vocalista Paulo de Carvalho. As letras explícitas dos outros trabalhos dão lugar a frases com duplo sentido e, ao contrário dos atuais grupos de pagode, não-repetitivas.O grupo mistura o rock´n´roll com samba, axé e baião. Segundo Carvalho, a maior parte das letras foi inspirada em Chacrinha. "Eu quis pegar aquele lance do duplo sentido", comenta. "É claro que às vezes tem uma coisa ou outra mais explícita, afinal ainda somos Velhas Virgens." O vocalista diz também que o trabalho tenta resgatar as marchinhas de salão dos bailes de Carnaval mais antigos e mostra que é possível fazer algo divertido sem ser repetitivo. Quem ouve a faixa Aposentadoria de Malandro - a melhor do CD -, pode perceber a viabilidade de uma fusão entre Ramones e Bezerra da Silva.O CD traz ainda uma área multimídia com fotos, letras e vídeos da banda. Nesta área há ainda uma seção de músicas com algumas gravações presentes nos três primeiros trabalhos da banda e as cifras de todas as canções já gravadas por eles. O destaque fica para o strip-tease virtual. Nele, os fãs vão respondendo a perguntas sobre a banda e uma personagem virtual vai tirando a roupa a cada resposta acertada. Desenvolvido pela Carranca Web Design, o CD está à venda apenas no site oficial da banda (www.velhasvirgens.com.br). De acordo com Cavallo, a tiragem é limitada. "Lançamos este CD como um presente para os nossos fãs. Não o consideramos como o quarto disco da banda. É um trabalho especial", diz ele. "E também não queremos deixar um espaço muito grande entre nosso último CD e o próximo, que será gravado ao vivo, provavelmente em Curitiba", revela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.