Vanilla Ice tenta outra volta ao pop

Será a volta da virada dos anos 90? Depois do anúncio do retorno do Guns N´ Roses no Rock in Rio 3, chegou a vez de Vanilla Ice falar sobre o lançamento de seu novo disco. O rapper louro que estourou em todo o mundo com o hit Ice, Ice Baby - e que foi ridicularizado por todo o pop logo em seguida - termina a produção de Skabz, em que pretende contar sua trajetória no mundo da música.Vanilla Ice, cujo nome verdadeiro é Rob Van Winkle, divide com o Milli Vanilli e MC Hammer o prêmio de "queda mais vertiginosa" no pop. O artista teve 7 milhões de unidades vendidas do disco To the Extreme, em 1989, e foi para o topo das paradas de vários países. Como uma espécie de pré-Spice Girl, ele tentou se reinventar dois anos mais tarde com o disco Mind Blowing, em que pretendia ganhar credibilidade ao assumir a estética dos gangsta rappers envolvidos com violência e drogas. Na mesma época, apareceu no livro Sex, de Madonna, em fotos de gosto duvidoso. Foi o que bastava para o enterro da carreira dele.Ice virou uma das maiores piadas do pop ao inventar detalhes em sua biografia para tentar ganhar a confiança dos jovens negros e por dar entrevistas falando sobre a "injustiça" que sofreu no mercado. Não faltaram nem episódios de dependência de drogas, falência e, claro, o descobrimento da religião. Foi esta persona que ele encarnou ao lançar Hard to Swallow, em 1998, com um show no clube punk nova-iorquino CBGB´s, acompanhado de uma banda "hard-core". Não convenceu nem o público nem a crítica.Agora, Ice volta com um disco que é "combinação de todas as identidades, com influências de hip hop e metal". Ele defende o uso de seu nome de guerra porque diz não ter nada a esconder. "Um nome é apenas um nome", disse ele à MTV americana. "Veja o caso de Prince: ele deixou de usar o nome e todo mundo continuou a chamá-lo de Prince." Ice alega ter no disco participações especiais de Soulfly (a banda de Max Cavallera), Insane Clown Posse, Public Enemy, Wu-Tang Clan e Lenny Kravitz. Só que o problema é que os representantes de Kravitz dizem que o músico não participou do trabalho, apesar de ser amigo do rapper. "Ele participou sim: tocou guitarra, cantou e produziu", rebate Ice. Não é a primeira vez que ele usa a técnica de citar nomes para chamar atenção. Ao lançar o disco Hard to Swallow, ele afirmou ter tido colaborações dos integrantes do Korn - o que nunca aconteceu. As outras participações citadas estão confirmadas, mas os referidos "integrantes" podem ser músicos menos conhecidos que já participaram de turnês de bandas como Public Enemy e Wu-Tang Clan.Ironicamente, Ice tem chances de voltar a ganhar atenção novamente graças a um remix de Ice, Ice Baby que está sendo tocado nas pistas de danças européias. Batizada de Ice, Ice Baby 2001, a faixa tem até um novo vídeo, gerando uma boa onda de interesse - ainda que cult - pelo rapper. Um bom impulso seria um papel no próximo filme de Quentin Tarantino...

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.